segunda-feira, 25 de julho de 2011

Mais uma vida perdeu para a droga da droga!

Oi gente!
Eu queria pedir licença a vocês para tocar num assunto que desde sábado é um dos focos da atenção da mídia em geral: a morte da Amy Winehouse. 


Uma ausência lamentada por todos que gostavam do trabalho dela, porém, diga-se de passagem, algo infelizmente esperado. Quem acompanhou as últimas apresentações dela no Brasil viu claramente o "farrapo humano" que subia aos palcos numa tentativa louca de cantar. Porém, o que se apresentava para o público era uma imagem apenas figurada de alguém que um dia foi uma grande cantora.


Muitos iam aos shows no intuito de ver aquilo mesmo: a decadência de um ser humano. Para terem do que rir, o que comentar e postar nas redes sociais da vida. Afinal, é de rir ver uma jovem talentosa mal se aguentar em pé, não conseguir cantar suas próprias músicas e passar por situações vexatórias por estar completamente embriagada ou drogada. Realmente é muito engraçado...


Entretanto, para quem tem uma visão mais ampliada da vida e que sabe que por trás de todo vício está uma pessoa doente do espírito e do corpo, não havia nenhum motivo para rir das cenas que eram mostradas. Ao contrário, só lamentar. Porque mais uma vida perdia para "a droga da droga".


Lembrando dessas situações, me vem à mente agora o conceito da psicologia sobre o "reflexo no espelho, a projeção". Penso que muitos riam de Amy porque se viam nela, se projetavam naquela imagem. Era uma forma de rirem se si próprios, da sua própria situação que, talvez, não era tão diferente da dela. Mas, como a máscara não nos deixa olhar pra nós, apenas para o outro, é dele que eu vou rir, comentar, denegrir no intuito de fugir de mim mesmo.


Impressionante como diante de tantos exemplos as pessoas continuam se enganando com a ilusão dos alucinógenos diversos como drogas, bebidas, remédios em geral. Não é a primeira e, infelizmente, por muito tempo ainda, não será a última vez que uma jovem de 27 anos com um talento irrefutável e uma vida inteira pela frente será derrotada pelo vício. 


Me espanta ainda mais a "normose" com que a sociedade olha o fato. "É, ela era viciada em droga e álcool". E só. A mídia comentava e continua falando disso como se fosse a coisa mais natural do mundo. Na verdade, porque não alimentar essa imagem, se cada escândalo ou situação deprimente na qual ela se envolvia era motivo para boas audiências seja nos blogs, revistas e jornais escritos ou televisivos?! É só mais uma "doida". Porque vou me preocupar com isso? Eu quero é notícia.


A notícia da morte de Amy não me causou nenhuma surpresa, muito menos me causará a constatação de que ela morreu de uma overdose, seja lá do que for.


O que me surpreende é a sociedade olhar isso com uma "tranquilidade mórbida", como se ela tivesse morrido de uma causa comum, natural. Como se, de alguma forma, não tivéssemos nada a ver com isso.


Todo viciado, seja ele no que for, é um ser que busca uma "bengala psicológica" para o não enfrentamento de si mesmo, seja dos seus medos, carências, baixa auto estima. E o conceito de vício é mais amplo do que simplesmente a "ingestão de algo danoso ao organismo".


Hammed, no livro As Dores da Alma, diz:
"Precisamos revisar nossas concepções sobre os vícios. Não podemos entendê-los como uma problemática que abrange, exclusivamente, delinquentes e vadios. Em verdade, viciados são todos aqueles que se enfraqueceram diante da vida e se refugiaram na dependência  de pessoas ou substâncias.
(...) Por serem carentes e sofridos entregaram sua força de vontade ao poder dos tóxicos, procurando se esquecer de algo que, talvez, nem mesmo saibam: "eles próprios", pois não aguentaram suportar seu mundo mental em desalinho".


Quantas Amys, Janis, Kurts ou Joãos, Josés, Amálias, Lucianas e Marias ainda serão "tragados" pelos vícios? Quantos ainda vão alimentar a ilusão de que fugindo de si e se refugiando em "alicerces frágeis", tal qual a areia que se esvai com o vento, se transformarão em seres fortes, inteligentes, criativos ou poderosos?


Quantos jovens, adultos, amigos, parentes ou simplesmente seres humanos que passam ao nosso lado, nós veremos morrendo ou se destruindo através das drogas lícitas e ilícitas e ficaremos de braços cruzados, dando risada e incentivando-os a consumirem cada vez mais para mostrarem ser o que não são, nessa ilusão coletiva na qual a nossa sociedade entrou?


A falta de objetivos nobres, de ideais, de perspectivas de vida, a ausência de apoio emocional e psicológico têm levado muitas existências ao fim de forma precoce. O vazio do materialismo tem corroído muitos corações que se sentem perdidos em suas angustias. 


Porque, meus queridos, a vida não se acaba com a matéria. Ela se expande ao espaço infinito mudando apenas a consistência, mas continuando a ser VIDA. E vida, seja ela qual for, vale a pena ser vivida. Ela pode não ser fácil, pode não ser exatamente o que você queria. Mas, certamente, ela é exatamente o que você precisa.


Por isso esta semana faço um apelo à VIDA. 
Está na hora de valorizarmos o que somos e quem somos. Sem bengalas, sem enganações, sem fugas, sem instrumentos ilusórios que só vão nos levar para um caminho: o fundo do poço. Está na hora de vermos o problema do "vício" como um caso de saúde pública. Está na hora de vermos nossos problemas emocionais como algo sério, antes que "os atalhos do caminho aparentemente mais fáceis", nos afastem do nosso verdadeiro "eu".


O auto encontro, o auto enfrentamento geralmente é sofrido. Porém, mais doloroso é perder a vida por algo que podia ser evitado.


Que a morte dessa jovem, que não soube encontrar a felicidade em si mesma, nos sirva de exemplo e reflexão para nossas próprias existências.


E que dediquemos um minuto de prece pelo seu espírito conturbado para que ele encontre um pouco de paz, pois sua luta está apenas começando.
Boa semana pra vocês.
Xanda

"Não podemos escolher como vamos morrer. 
Ou quando. Podemos somente decidir como vamos viver." 
(Joan Baez)

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Feliz Dia Internacional do Amigo!!

Bom dia!
E esse bom dia hoje é especial. Hoje é o DIA INTERNACIONAL DO AMIGO.


Ao contrário de outras datas comerciais do ano, acho difícil um dia do Amigo ter apelo "para compras". Já pensou: ter que comprar presente para todos aqueles que você considera um amigo?!  =)


Não que eles não mereçam. Merecem e muito! Mas, não haveria saldo bancário suficiente (do lado de cá e de lá da vida também) para presentear a todos como cada um merece. (saída boa essa minha, não?! kkkk)


Se bem que, se formos realmente avaliar "o que é um amigo", a gente vai perceber que ao nosso lado temos muitos colegas de trabalho, farra, conversa, porém, amigo, amigo mesmo, ah, esses são poucos.


Porque amigo é aquele que gosta de você independente de quem és. Pra ele não importa se tens status social, dinheiro, qual a sua cor, religião, opção política. Para o amigo verdadeiro o que interessa é você: a sua presença, a sua companhia, o que pode ser compartilhado, conversado.


Amigo consegue ver além até do seu mal humor! Ele sabe que por baixo de toda "cara feia" há alguém com coisas boas ali e que precisa só de um tempinho para descobri-las. Ele vai até ajudar você a ser uma pessoa melhor. 


Amigo não vai concordar com tudo o que você pensa, diz, ou faz. Mas vai esperar o tempo certo para discordar, lhe dando os alertas necessários para você mudar os conceitos. Em alguns momentos, quando você "pisa na bola", ele vai estar ali do seu lado lhe dando o apoio, sem lhe acusar, sem lhe agredir. Mas, passada a tormenta, vai conversar contigo sobre o assunto tentando lhe abrir os olhos.


A melhor parte da amizade é o compartilhar. Nossa, como é bom!!!
Compartilhar um trabalho, um ideal, uma traquinagem, uma macarronada, um bom vinho, um sushi, uma pizza, um momento de lazer, as dores, as alegrias, os medos, as angustias, os anseios, os sonhos ou um prato de brigadeiro!! Tudo é um ótimo motivo pra estar junto.


Amizade verdadeira não tem distância que separe ou apague!! Você pode morar do outro lado do mundo, mas quando se encontrar com seu amigo vai ser como se nunca tivesse havido separação. A alegria é a mesma e o papo parece que não acaba nunca!!!!


Pois é. Amigo é tudo isso e muito mais.
Por isso, hoje, depois de ser lembrada de tão nobre data por um grande amigo, resolvi escrever rapidinho e mandar meu abraço e carinho aos amigos de perto e de longe, do lado de cá e do lado de lá da vida.
Um beijo carinhoso nessa manhã de quarta-feira a todos e FELIZ DIA DO AMIGO!
Xanda



EU QUERO APENAS
(Roberto Carlos / Erasmo Carlos)

Eu quero apenas olhar os campos,
Eu quero apenas cantar meu canto, 

Eu só não quero cantar sozinho, 
Eu quero um coro de passarinho, 
Quero levar o meu canto amigo, 
A qualquer amigo que precisar.


 (Refrão)
Eu quero ter um milhão de amigos 
E bem mais forte poder cantar 
Eu quero ter um milhão de amigos 
E bem mais forte poder cantar

Eu quero apenas um vento forte,
Levar meu barco no rumo norte
E no caminho o que eu pescar 
Quero dividir quando lá chegar 
Quero levar o meu canto amigo 
A qualquer amigo que precisar


 (Refrão)

Eu quero crer na paz do futuro,
Eu quero ter um quintal sem muro 
Quero meu filho pisando firme, 
Cantando alto, sorrindo livre 
Quero levar o meu canto amigo 
A qualquer amigo que precisar


 (Refrão)


 Eu quero amor decidindo a vida,
Sentir a força da mão amiga 
O meu irmão com sorriso aberto, 
Se ele chorar quero estar por perto 
Quero levar o meu canto amigo 
A qualquer amigo que precisar

 (Refrão)

Venha comigo olhar os campos,
Cante comigo também meu canto 
Eu só não quero cantar sozinho, 
Eu quero um coro de passarinhos 
Quero levar o meu canto amigo 
A qualquer amigo que precisar.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

A vida é um grande ir e vir...

Meu povo!!!
Passando rapidinho para dar um oi, pois a semana se finda e com ela vão junto os problemas, os desafios, os aperreios. Por outro lado, crescem a lua (que estará cheinha amanhã, mas hoje já estava belíssima aqui em Olinda), as esperanças, o desejo do descanso, de alegria, de aconchego.


Alguns momentos são mais marcantes do que outros. Essa semana não foi fácil para algumas pessoas que, seja pela morte ou pelo nascimento, verão sempre esses primeiros dias de julho como "algo difícil de se apagar da memória".


A vida é um constante ir e vir. A única coisa realmente permanente é a impermanência. Como dizia a música, "sei que nada será como antes, amanhã...". E de fato, assim o é. A vida muda a todo instante. 


Nascer e morrer são lados de uma mesma moeda e que é comum a todos nós. Faz parte do ciclo natural da vida. Porém, temos dificuldades em administrar as emoções quando o lado da moeda que cai é aquele que aparentemente vai nos afastar dos que nos são caros.


É interessante observar como cada povo reage a essas situações. 
Nas sociedades onde há a crença da perpetuidade da vida, na transcendência do ser, a morte incomoda a quem fica, mas não gera desespero. Até porque acredita-se que "dorme-se do lado de cá, para acordar do lado de lá", numa troca apenas de casa. 


Para as sociedades do ocidente, ou seja, nós, a morte é vista como algo a se temer, como uma coisa que não deve ser falada, pensada. Se alguém diz, "já estou deixando meu velório e o caixão pago", logo se afirma: "deixa disso, isso traz agouro pra tua vida". 


O fato é que poucas pessoas se preparam para a viagem de volta. Muitos só param para pensar nessa situação quando se veem defrontados com ela, na ausência de um ente querido, um amigo, alguém próximo. Aqui no ocidente preferimos pensar no "curtir o hoje" e com isso deixamos de nos capacitar para fazer uma "boa viagem de retorno". Para onde?! Não sei. 


Para alguns voltamos para o paraíso. Outros acreditam que vão dormir até chegar o dia do juízo final (se alguém souber da data, por favor, me informem). Outros acham que vão para colônias espirituais paradisíacas, de preferência, em Nosso Lar (que já deve estar superlotada!!). Já outros morrem de medo de bater no umbral, a versão mais atualizada do inferno. 


Eu particularmente acho que a gente vai para o lugar com que afinamos. Nossa mente, gostos, atitudes é que vão definir como será o nosso retorno à pátria do espírito, ao céu, ou a qualquer outro lugar em que você acredite. A forma como essa viagem acontece é que faz a diferença: ela pode ser tranquila, através de um simples fechar de olhos durante o sono noturno, ou brusca, através de uma ocorrência grave como uma doença, um acidente.


Céu e inferno são estados de espírito, pois tem muita gente "viva" que já está "morta" há muito tempo e não sabe! Me preocupo as vezes em ver como as pessoas esquecem da transitoriedade da vida e deixam-na passar sem fazer nada de útil a ninguém, sem cuidar de si. E ai, quando D. Morte bate na porta com o seu cajado se desesperam e ficam tentando ludibriá-la para fugir de suas garras.


O fato é que todos nós devíamos nos preparar para esse momento. O da grande transformação. O retorno ao pó, à essência divina que habita em nós. Entender que nada acontece por acaso e que sempre que um momento de grande choque nos chega é porque algum bem, tão intenso quanto, quer se aproximar de nós igualmente. 


A vida se repete todos os dias. Tem gente que chega e tem gente que vai. E nós fazemos parte desse trem. Cabe a cada um de nós escolher se vamos viajar de primeira classe, com toda a tranquilidade, pouco sentindo o cansaço do percurso, ou se vamos ter que ir na classe econômica, no banco duro, sentindo os chacoalhões, as sacudidas ao longo do trajeto.


Uma coisa posso afirmar: a vida é muito mais do imagina o nosso vã conhecimento.
E sempre deve ser cuidada, prestigiada por nós. 
Que a lua cheia que nos chega nesse fim de semana possa iluminar o coração de quem sofreu perdas bruscas nesses últimos dias e reavivar dentro do coração a fé, a esperança e a certeza de que nunca estamos sós, principalmente nos momentos mais difíceis.


Que a luz dela possa iluminar o coração de cada um de vocês.
Um ótimo fim de semana.
bjs
Xanda













segunda-feira, 11 de julho de 2011

O ser verdadeiramente alegre é aquele que está desperto.

Oi gente!
Aproveitando o fim da segunda-feira chuvosa aqui em Olinda, para dar uma passadinha e conversar um pouco. Semana começou com clima de inverno aqui pelas bandas nordestinas que é pra gente não ficar com inveja dos nossos irmãos sulistas que estão "virando picolés" literalmente!!


E pra esquentar essa "frieza toda" eu queria falar hoje sobre a tal da alegria.
Será que a gente sabe realmente o que é ser alegre?!


Há quem ateste que alegria é você ter paz de espírito. Concordo.
Quem vive em paz com sua consciência e com o seu coração não tem como não ser feliz, pois é alguém que já identificou o seu papel nesse mundo, já sabe quem é, o que quer e deve fazer, o que gosta e o que não gosta, independente da aprovação de A, B ou C.


É verdadeiramente feliz quem consegue olhar para dentro de si sem medo, sem vergonha, mas com compreensão, indulgência e auto amor, não tendo medo de ser quem é. Quem admite seus erros e busca a cada dia ser uma pessoa melhor. Quem se alegra com suas conquistas mas, sabe que ainda tem muito o que melhorar e não se acomoda no primeiro passo.


É feliz quem consegue descobrir qual o "caminho que Deus traçou pra si" e passa a segui-lo com determinação e coragem, não esmorecendo ao encontrar problemas e desafios. Para quem vive a felicidade de fazer o que gosta os problemas não são "pedras paralisantes", mas apenas obstáculos a mais para serem pulados, contornados ou removidos e que lhe trarão mais amadurecimento e alegria na conquista de seus objetivos.


Consegue ser feliz quem sabe viver com o que tem, sem ansiar mais do que pode, mas aproveitando o que a vida lhe dá e oferta naquele momento para o seu crescimento e sustento. Quem pode sonhar sonhos possíveis e luta realmente para concretizá-los. Quem sabe se alegrar com pequenas coisas como o sorriso de uma criança, um belo por de sol, o nascer de uma lua cheia, com a festa barulhenta de um cachorro ou com o desabrochar de uma flor no jardim.


Consegue ser feliz quem dá uma guinada na sua vida, quando tudo parece estar dando errado. Quem não tem medo de começar de novo, seja qual for a sua idade. Quem não acredita que a meia idade ou a boa idade são o fim, mas descobre nelas o verdadeiro início das grandes descobertas e muda seus caminhos buscando aquilo que realmente lhe dá prazer.


Sabe ser feliz quem não enxerga apenas o mal no outro, quem consegue ainda acreditar no ser humano, na existência da bondade e do bem. Quem consegue ver por detrás das ações de quem o agride, o ser humano muitas vezes doente, inseguro, com medo. Quem sabe tirar o melhor de todas as situações e sabe aprender com cada uma delas, sejam boas ou ruins, transformando-as em sincero aprendizado.


Entretanto, pensa que é feliz quem vive fugindo de si, do encontro com o seu próprio eu e passa a viver um personagem, uma ilusão. Quem vive de aparências querendo ser o que não é, quem foge do seu destino, daquilo para o qual foi criado para executar, seja por medo, seja por revolta, seja por desistência.


Pensa que é feliz quem esconde suas dores e mágoas no fundo da mente, negando senti-las, e tenta afogá-las nas saídas ilusórias do álcool, das drogas, das noitadas sem limites, dos infinitos parceiros de cama sem sentimento. Numa tentativa errônea de euforia momentânea exacerbada, que cessa com o apagar das luzes, com o fim do efeito, com a chegada do dia.


Pensa que é feliz quem lesa o patrimônio alheio, público ou privado, tirando da boca de quem passa fome, de quem realmente precisa, o básico para viver com dignidade apenas para desfrutar egoisticamente do que não lhe pertence. Que se locupleta da miséria dos outros para ostentar uma riqueza ilusória, achando que ficará impune por toda a existência, coitado!!


Pensa que é feliz quem semeia a discórdia no ambiente de trabalho, no seu meio social, na família, no seu ambiente religioso, quem difama o próximo simplesmente porque não consegue defrontar a sua própria sombra. Quem projeta no outro, as deformidades que existem negadas em si próprio.


Pensa que é feliz quem vive escravo do corpo com medo do ciclo natural da vida, do envelhecer, do renascer de outra forma.


Alegria e felicidade são conquistas da alma desperta, lúcida, que compreendeu que só ouvindo a voz Divina em si, e passando a viver de conformidade com ela, entendeu que as coisas transitórias do mundo aqui ficam ao final da jornada e que a única propriedade verdadeira que possui é o que construiu dentro de si mesmo.


Portanto, se você anda perdendo tempo no seu conceito de felicidade, não espere mais e mude a rota agora mesmo, pois independente da sua idade física, ainda dá tempo de realmente SER FELIZ!
Bjs povo e boa semana!
Xanda


"Felicidade não é simplesmente a realização de todos os nossos desejos; é antes a noção de que podemos nos satisfazer com nossas reais possibilidades"             (Hammed)

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Não desista agora de você ou da sua vida!

Oi gente!!
Que bom que a semana já está chegando aos seus momentos finais!! Ufa, em breve, oportunidade de descansar um pouco.


Pra fechar esta semana, eu queria fazer-lhes uma pergunta: vocês já desistiram de lutar, em algum momento, por aquilo que vocês acreditavam?


Questiono isso porque tenho percebido, aqui e acolá, pessoas que desistiram de lutar pela sua vida. Desistiram dos próprios sonhos, de amar, de si mesmas. Os motivos são os mais diversos: um desencanto amoroso, uma perda (seja afetiva ou profissional), uma frustração mal resolvida, dificuldades inúmeras que apareceram no meio do caminho. Enfim, o que não faltam são motivos para tomar essa atitude e para se acomodar nela.


É fato que perdas são coisas dolorosas. Que dói, dói. 
É fato que em alguns momentos da nossa vida tudo parece conspirar contra nós fazendo com que nada dê certo, com que as coisas não andem ou aconteçam.
É fato que existem pessoas que complicam nossa existência.


Mas também é fato que nenhuma barreira é intransponível quando a gente realmente deseja algo. Outra coisa óbvia é que nenhum de nós que transita aqui por baixo está isento desse tipo de situação. O que difere é a forma como encaramos essas ocasiões. O que para uns é alavanca propulsora para ir em frente, dar um "upgrade" na vida ou na sua história, para outros é desculpa para simplesmente desistir. E não há nada mais lamentável do que a gente desistir das coisas, das pessoas ou de nós, pelos motivos errados.


Alguém disse que ninguém veio a este mundo a passeio. É fato.
Estamos todos matriculados numa grande escola chamada "Vida" que tem como único objetivo nos fazer crescer sempre. Porém, pelas escolhas equivocadas que fazemos em alguns momentos complicamos a caminhada e ai, nossa amiga "Vida" vem e busca os caminhos e as ferramentas para que "coloquemos de novo o carro no trilho certo".


Quem não entende ou não quer aceitar esses mecanismos da natureza se fecha em si próprio, escondendo-se num mundo particular, sentindo-se a mais injustiçada das pessoas. Prefere assumir o papel de "vítima", do coitadinho, do que ir à luta, brigar por si, pelos seus sonhos, àqueles que são possíveis de realizar. Nossa mente faz um boicote a nós mesmos e se não tivermos determinação e usarmos de alguns requisitos básicos como, aceitação, autoamor, indulgência para consigo, autoperdão, perdemos a oportunidade de uma existência, simplesmente por medo e covardia de lutar.


Quem não gera dentro de si a força necessária para mudar as coisas, vai se acomodar e usar o outro ou as situações como a desculpa para a sua infelicidade, quando o único responsável é ele mesmo. Quem desisti de si joga para a vida uma responsabilidade que era sua: a de fazer a vida acontecer. Tem um autor que eu adoro chamado Hammed que diz em um de seus livros: "aceitar nossa realidade tal qual é representa um ato benéfico em nossa vida". E é mesmo!!


Só aceitando as coisas como elas são podemos encontrar a força e o caminho correto para fazer de forma diferente aquilo que precisa ser mudado, transformado. E assim, redescobrirmos o prazer de viver, de realizar e de ser.


Portanto, se você terminou a semana nessa de "vou desistir de tudo", saia dessa!!!
Levante, sacuda a poeira, e dê a volta por cima porque só nós é que podemos nos fazer realmente felizes e mais ninguém. Que sua esperança e fé em si e na vida comece a crescer de novo, como a lua que se prepara para o seu esplendor mais uma vez. 


Beijos e um ótimo final de semana.
Xanda