segunda-feira, 23 de abril de 2012

O que será que eu amo quando digo que te amo?


O que é que eu amo em você quando afirmo que te amo?
Essa é uma boa pergunta.

Por que o simples olhar para teu rosto numa foto me aquece o coração?
Por que o simples lembrar do teu olhar e sorriso me comove até as lágrimas?

O que é que eu amo em você quando afirmo que te amo?
Rubem Alves nos diz em uma de suas obras que "amamos no outro aquilo que ele pode nos facultar ser", ou seja, aquilo que eu penso que sou ou serei se estiver ao lado da pessoa que me desperta o desejo. É o processo da projeção, daquilo que imaginamos no outro e que pode ter correspondência em nós mesmos.

Por isso volto a perguntar: o que será que amo quando digo que amo você?
Será que eu amo o sentimento de completude que você me faculta?
Será que amo a sensação de poder que sua presença bonita me traz?
Será que amo a tua humanidade e que eu também gostaria de sentir em mim?

Será que te amo porque me dás prazer em fazer coisas pequenas como uma ida ao supermercado ou o compartilhamento da prepação de uma refeição?
Será que te amo porque me facultas sorrir como uma criança feliz?
Será que te amo pela doçura e simpatia que irradias e que me inspira a buscá-la dentro de mim, já que ainda não a possuo?
Será que te amo porque me vejo em ti, na vontade que tens de ser alguém melhor?

Ou será que te amo porque em ti vejo meus próprios medos?
Porque enxergo em ti a mesma fragilidade que me toma?
Será que te amo porque me vejo nas tuas dificuldades?
Ou porque enxergo em teus olhos a mesma sensação de estar "perdido" que aparecem nos meus?
Ou porque vejo em ti a mesma covardia em lutar pela felicidade que as vezes me assola?
Será que te amo porque vejo em ti o meu próprio reflexo, de alguém que queria apenas ser feliz?

Seja qual for o motivo, sinto apenas que te amo. Com fragilidades, medos, angustias, alegrias, prazer, tesão, admiração. Eu te amo.

Mas, o que será que eu amo realmente quando digo a mim mesma que te amo?!


terça-feira, 17 de abril de 2012

E ai, você está disponível?!

Olá!!
E ai, tudo bem?

Está estranhando a chamada do meu texto de hoje? Calmaaaa.
Não é nada disso que você está pensando. kkkkkkkkkkkkkkk

Meu questionamento inicial parte da leitura de um texto de um livro adquirido no último final de semana, quando fui para um evento no interior de São Paulo. Peguei a obra que estava em exposição na livraria do evento e, quando a abri cai de frente com um capítulo que tinha como título "Disponível?".

Achei graça e, claro, assim como você que recebeu esse meu e-mail, fui tomada pela curiosidade e comecei a ler o dito cujo. E lá estava uma reflexão fantástica sobre a forma como nos colocamos "à disposição" da vida para que ela faça o seu trabalho em nós.

Tem muita gente que vive brigando com a vida. Ela vai levando a pessoa para um determinado caminho, mas ela quer outro.
Ela tira da pessoa algo ou alguém, mas a criatura fica querendo viver "agarrada" ao que foi, passou, perdeu.
Tem gente que por mais que a vida lhe mostre o caminho a seguir, o cristão insiste em tomar o rumo errado e depois não sabe "porque as coisas não estão dando certo" ...

Tem gente que se fecha pra vida depois de uma perda, de uma derrota, de um desgosto.
Tem gente que não se abre de jeito nenhum para dizer o que lhe vai no íntimo, para falar das angustias, dos medos, dos sentimentos de culpa e remorso. E vai perdendo o viço, a alegria de viver, as oportunidades que lhe chegam sejam profissionais, amorosas ou sociais. Vai "azedando" sem perceber.

Tem gente que lamenta tanto o que perdeu que não consegue apreciar o que tem no momento.
Criamos tantas expectativas sobre como as coisas e as pessoas devem ser que esquecemos de viver e aproveitar o mundo real, o que nos chega, mesmo que não seja exatamente o que queríamos.

Desejamos que as coisas venham para nós, sem esforço, mas não nos disponibilizamos para ir atrás delas, para lutar por elas. Nos acovardamos diante da vida e das situações.

E por isso volto a perguntar: você está disponível?!

Você está disponível para que a vida lhe sorria da forma como deve ser?
Você está disponível para amar e se deixar ser amado?
Você está disponível para tentar de novo, mesmo que tudo tenha dado errado antes?
Você está disponível para voltar a se sentir leve, sem culpas, remorsos, medos?
Você está disponível para correr atrás dos seus sonhos, dos seus amores, da sua vida?
Você está disponível para, finalmente, começar a viver?

Porque se não houver essa disponibilidade íntima dentro de cada um de nós, vamos deixar o barco da vida passar e perderemos as paradas nas estações em que deveríamos ter descido restando-nos depois apenas lamentar e chorar o tempo perdido.

Por isso eu espero que todos nós possamos nos "disponibilizar" para a vida e começar a vivê-la com vontade, desejo e tesão. Sim tesão. Porque sabiamente diz o ditado: que sem tesão, sem vontade, sem gosto de se fazer as coisas, não há solução!

Pense nisso!!!
Bjs e boa semana

DISPONÍVEL?

"Você está disponível?
Fazer essa pergunta assim, do nada, pode deixar margem a interpretações equivocadas sobre as minhas intenções... Aliás, interpretar equivocadamente é aquilo que mais sabemos fazer, na vida ou fora dela.


Sabe por que? Por um motivo muito lógico: nós só ouvimos ou entendemos aquilo que queremos. E como não ficamos muito bem situados quanto às nossas "querenças", acabamos por tomar isto por aquilo e aquilo, por aquilo outro...


Precisamos fazer um exercício difícil, mas extremamente necessário: o exercício do desprendimento de nossas expectativas.


Isso de esperar que venha de lá aquilo que achamos que deva ou que queremos que venha nos impede de abrir os braços para o que a vida tem para nos dar ou para o que devemos receber. E olhe: por vezes, o que nos oferecem é sempre mais do que merecemos...


Por isso volto à pergunta: você está disponível? Disponível para dar e receber sem esperar demais? Para aceitar a vida e suas surpresas, embora não seja exatamente aquilo que você queria?


Você estará disponível, enfim, para deixar de lado tantas "querenças" e aceitar as ofertas que lhe fazem?


Veja que, apesar de tudo, você ainda vai me interpretar mal e muito mal. Sua cabeça só funciona quando guiada pelo que veem os seus olhos. Entretanto, uma coisa eu asseguro: às vezes, só conseguimos enxergar bem, de verdade, com os olhos fechados..."

Texto do livro Mente Aberta
Espírito Bento José/médium Pedro Camilo