sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Hoje é dia de agradecer, por isso MUITO OBRIGADA!!

Olá meu povo, bom dia!!
Pois é, são 4h17 da matina e cá estou ao computador para escrever. 
Antes que perguntem não fui eu que acordei, me acordaram isso sim. Não sei quem queria que eu levantasse tão cedo da cama, mas já que acordei antes do horário em que nasci, resolvi aproveitar.

Nasci às 4h36 da manhã, numa terça-feira, dia 31 de agosto. Meu portal de "retorno" ao corpo foi o Hospital Barão de Lucena, no Recife. Começava ali uma nova jornada de vida. Eu voltava mais uma vez ao plano físico para aprender: aprender a viver, aprender a me superar, aprender a realizar as coisas de forma diferente, aprender a amar como se deve. Alguns bons desafios me aguardavam nessa existência, principalmente desafios internos, pessoais.

Não posso reclamar dos meus primeiros "41 anos de vida". Deus me deu tudo o que eu precisava para ser a pessoa e a profissional que hoje sou. O resto ficou pela minha própria conta, sê-lo ou não. Olhando para trás, vejo o quanto ele foi generoso comigo sempre colocando em meu caminho as possibilidades e pessoas certas, além das oportunidades de aprendizados que eu necessitava. Se não aproveitei tudo como devia, paciência. 

Figuras importantes passaram pela minha vida desde minha infância. Pessoas queridas que me orientaram quando eu mais precisei. Outras que me levaram para os caminhos que eu precisava seguir, servindo como bussolas à direcionarem minha vida para o rumo que eu devia realmente trilhar. 

Experiências diversas que tinham por objetivo tentar "lapidar o gênio complicado desta virginiana com ascendente Leão e lua em Capricórnio" (já viu o tamanho da confusão, né?!) também surgiram nesses meus primeiros 41 anos de vida. Graças a elas, se não fiz todas as mudanças que precisava, pelo menos, parei para analisá-las, ouvi-las e tentar introjetá-las. Ainda há muitos desafios a serem vencidos, mas acho que o melhor saldo do "se chorei ou se sorri" é que hoje sou alguém que verdadeiramente tenta acertar.

Pois é. Dia de aniversário também é, para mim, dia de pensar na vida, traçar novos caminhos, metas, rever estradas, replanejar. Mas também é um dia de muita, mas muita gratidão à Deus por essa existência. Por isso, gosto desse dia.

Esta sexta-feira é para mim, acima de tudo, um dia para agradecer.
Por isso, agradeço de coração ao Homem lá de cima por ele fazer parte da minha vida e daquilo que tenho como meta nessa existência.
Agradeço também à família que me recebeu e que compartilha comigo dessa jornada.
Um agradecimento carinhoso àqueles que estiveram junto a mim como amigos, colegas, companheiros de turma, de profissão. Às pessoas que não conheço pessoalmente mas que acompanham meu trabalho, seja no jornalismo ou na divulgação daquilo que me guia essa vida e que me ajuda a ser uma pessoa melhor que é o Espiritismo.

E um agradecimento especial a amigos que não vejo com os olhos, mas sinto com o coração. Pessoas que abalizaram esse meu "retorno" ao mundo físico, que me acompanham incondicionalmente, que se alegram com minhas conquistas e vitórias; que choram com as minhas quedas e derrotas; que ficam com a mão na cabeça quando "eu piso na bola", mas que não desistem de mim. A esse amigos "de Lá", minha gratidão eterna por tudo e meu desejo sincero de tentar fazer jus à confiança que depositaram e ainda depositam em mim. Amo vocês!!

Bom, são 4h42 e eu já nasci.
Então, a partir de agora é comemorar e agradecer. E como diz a música: "Vou deixar a vida me levar pra onde ela quiser. Estou no meu lugar e você já sabe onde é". E nesse momento, meu lugar é de volta à cama pra tirar mais um cochilo!!

Ah, claro, e eu não podia dizer que o melhor presente eu já sei que vou ganhar hoje: uma lua linda e cheia para iluminar a noite!! Tem presente melhor?!  =)

Um bj a todos e todas e, mais uma vez, obrigada de coração por vocês fazerem parte desta minha vida.
E um ótimo fim de semana.
Xanda


quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Até breve, Elias ...

Hoje venho aqui para fazer uma homenagem a alguém muito querido.
Nesta quarta, 15 de agosto, um grande amigo, o Elias Vital Nascimento, voltou pra casa.
Recebi a notícia (que eu já aguardava desde o final da semana passada) de que ele deixou o seu corpo através de uma parada cardio respiratória, no início da noite. Terminava assim a história desta vida, deste meu amigo.

Resolvi vir escrever porque achei que seria a melhor forma de colocar e dizer para ele o que sinto.
Desespero? Não. Dor? Também não. Saudade? Isso sim.

Certa feita ouvi, há muito tempo atrás, alguém dizendo que quando o questionavam sobre "se ele acreditava em vida após a morte", ele dizia que não. Não acreditava. Porque ele tinha certeza de que ela existia. Achei interessante essa colocação e até graça. Hoje vejo o quanto ela é verdadeira.

É por não crer mas ter a ABSOLUTA CERTEZA, meu amigo Elias, de que apenas você fez uma viagem de volta para o local aonde (espero!!) a gente também vai um dia, que não me desespero, nem sinto dor com sua partida. O Cara Lá de Cima foi muito bacana conosco quando nos permitiu desfrutar de mais alguns meses de sua companhia, para que pudéssemos aos poucos ir nos acostumando com a ideia de que terias que voltar pra casa bem antes do que a gente gostaria.

Até que se tentou em adiar a expedição do seu passaporte, mas assim é a vida, né amigão?! Quando o dever nos chama ou "quando o patrão determina" não tem como não obedecer. Faz parte do ciclo daquilo que nós chamamos de vida "fazer a viagem de volta".

Porém, meu querido Elias, saibas que sua cadeira permanecerá cativa no meu e, tenho certeza, no coração de muitos que conviveram com você nos últimos anos. 

O mais difícil nesse início de viagem, amigão, é não sentir saudades de você. Da sua risada gostosa, de suas tiradas irônicas, do seu humor refinado, das suas colocações aparentemente machistas (né, Carol Lins?!) que eram para deixar a mulherada de cabelo em pé!!!! A turma nunca percebia em tempo quando estavas tirando onda e "engoliam a corda". 

Me diga mesmo como é que não vamos sentir falta de suas colocações "cabulosas", dos seus questionamentos racionais em nossos estudos mediúnicos, do seu "confessai-vos" durante nossos estudos de educação dos nossos sentimentos e, o mais importante, da sua sabedoria em administrar duas ex-esposas e ainda a terceira?!!!

Mas, o mais o gostoso mesmo será lembrar dos bons momentos que tivemos à mesa jantando no Parraxaxá no domingo à noite, depois de uma tarde inteira de trabalhos no Gespe, quando tomavas sua sopa de carne com pão e depois pedias aquele café expresso duplo com leite Molico, um cuscuz, um queijo coalho e um pão de macaxeira assado!!! Enquanto Erick caia de boca no prato de operário dele só de salada e proteína, eu na minha sopa de feijão e torta de limão, e Cris acompanhando metade da sua "viagem culinária". Ah, e mais recentemente, Alana também na sopinha e no meio quilo de sobremesa!!!

Meu amigo, tudo isso que cito são coisas físicas que só tinham graça porque eram com você. Mas o que está mesmo deixando saudades é o homem, o amigo, o parceiro de trabalho, a pessoa com quem a gente podia compartilhar os bons e maus momentos. O ser humano que, mesmo numa idade em que para muitos "mudar é impossível", mostrava que ser uma nova pessoa não dependia de "relógio cronológico", mas sim, de estar aberto ao novo, de se colocar como aprendiz diante da vida, de se permmitir vivenciar sem preconceito mas com racionalidade aquilo que a vida te oferecia e ver o que de fato, servia ou não.

Querido Elias eu poderia passar a noite aqui escrevendo sobre você, porém, tenho certeza de que vais sempre captar meus bons pensamentos onde quer que estejas, lembrando das outras coisas que, por ora, não me chegam com facilidade à mente já cansada de um dia de trabalho. Saibas porém, que não apenas os seus amigos "fariseus" sentirão sua falta, mas também toda a turma do Gespe.

Por isso, meu amigão, a quem estimo como a um pai, encerro esta minha carta/homenagem à você dizendo: MUITO OBRIGADA POR VOCÊ TER COMPARTILHADO UMA PARTE DESSA SUA EXISTÊNCIA FÍSICA CONOSCO.

Receba um beijo carinhoso de todos nós que aqui ficamos e, aproveitando a oportunidade, quando você encontrar com Dr. Inácio e D. Modesta para tomar um cafezinho e jogar "conversa fora" mande meu abraço a eles. Ah, e não deixe de vir nos contar como foi esse encontro, tá?! (Eu queria ser uma mosca branca só pra ver isso!!).

Ah, e agora que você foi promovido "literalmente" a anjo de guarda e mentor doo Gespe não se aperrei, que ao invés da gente apelar para Pai João ou Bezerra de Menezes, vamos lembrar de "São Elias"!!

Um brinde ao presente da amizade entre nós, meu amigo.
Vai com Deus, Elias. Vai em paz.
E, até breve ...
Com o carinho e afeto da amiga, irmã e filha,
Alexandra

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Logo de manhã... BOM DIA!

BOM DIA MEU POVO!!!!!!!!!!!!!

É isso mesmo: BOM DIA!!!!!!!
Antes que vocês pensem que essa minha animação toda logo de manhã cedo é porque "tirei na megasena". aviso logo que continuo "lisinha da Silva!!". Apenas estou sob a inspiração de uma música, à qual tive o prazer de ser apresentada assim que cheguei ao trabalho. Ela é uma composição do Paulo Freire, interpretada pela voz incomparável da Zizi Possi. Quem fez "o favor" de nos apresentar foi meu amigo Camerino. E fui, curiosa, olhar a letra dela.

Caramba!! Ela é exatamente o que nós somos.
Essa dualidade do ser onde um dia acordamos bem, no outro estamos de "bode" (em pernambuquês significa, chateados, abusados, macambúzios, pra baixo). 

Um dia estamos felizes, no outro abusados.
Um dia acordamos dispostos, no outro nos arrastando.
Um dia estamos leves com a cabeça funcionando bem. No outro parece que levantamos com um bloco de concreto em cima dela!!!!

Um dia vemos que tudo está andando na nossa vida. No outro parece que tudo deu pra trás.
Tem dia que a gente acorda pensando no futuro e fazendo planos, em outros pessimistas e achando que não temos amanhã.

Tem dia que a gente acorda com vontade de "beijar o padeiro" como diria meu amigo Brasilino, no outro querendo "matar o primeiro que nos olhar atravessado".
Tem dias em que nos levantamos da cama, nos olhamos no espelho e dizemos pra nós: poxa, hoje eu tô bonita. Tem dia que nos assustamos com a nossa própria face e tentamos correr até de nós mesmos.

É ou não é assim?
Mas o grande lance é entendermos que somos assim mesmo, ainda, porque não aprendemos a olhar as coisas "com novos olhares" ou "desfocar dos problemas para vê-los por outros ângulos". 

Mas tem gente que não é dual. Tem gente que consegue só polarizar nas coisas negativas, só pensa coisas ruins, vê maldade em tudo e todos, só consegue enxergar o lado negativo das situações e pessoas, dispara rancor, azedume e agressividade pra todo lado. São pessoas que olham o mundo com as "lentes do negativismo".

Para essas não há bons dias. Só há peso, obrigações e, óbvio, péssimos dias.

Mas, graças a Deus, há também as pessoas de polaridade positiva. Essas aprenderam que a vida é uma escola sempre disposta a nos ensinar o melhor e conseguiram com a experiência, vontade e determinação "mudar a vista do ponto" e passar a olhar tudo o que as cerca de maneira otimista, destacando o que de melhor há nas pessoas, garimpando na sua rotina motivos para serem felizes, independente do que lhes acontece.

Para essas sempre há bons dias.

Por isso, deixo para esse seu término de semana essa reflexão e o bom humor da letra e da interpretação maravilhosa de Zizi Possi, lhe convidando, mais uma vez a fazer "do limão que lhe deram, uma deliciosa e doce limonada". Bom, para os meus amigos chegados numa vodca, diria eu "uma deliciosa caipirosca"!!  ;)

Se a sua semana foi daquelas, se o "bicho pegou", seu chefe lhe stressou mais do que devia, sua mulher deu em você com uma "toalha molhada", seu marido "encheu a sua paciência com os jogos da seleção brasileira nas olimpíadas quando você queria namorar, seus filhos resolveram quebrar a sua porcelana preferida, se o dinheiro faltou pra pagar as contas ou se tivestes que fazer uma manutenção daquelas no carango que custou "os olhos da cara!!".

Se você acordou de mau humor hoje e teve o azar de ler esse meu texto "com cara de Poliana" (que nunca tive saco de ler, por sinal!!), PARE TUDO AGORA!! Dê uma boa respirada, bote o ar pra fora, comemore que hoje é sexta-feira e se permita, pelo menos neste dia, mudar o seu astral. E diga bem alto BOM DIA!!!!!!!!!

E bom fim de semana pra você!
Xanda
                                    BOM DIA                                      
Zizi Possi


Um dia quero mudar tudo

No outro eu morro de rir,
Um dia tô cheia de vida
No outro não sei onde ir,
Um dia escapo por pouco
No outro não sei se vou me livrar,
Um dia esqueço de tudo
No outro não posso deixar de lembrar,
Um dia você me maltrata
No outro me faz muito bem,
Um dia eu digo a verdade
No outro não engano ninguém,
Um dia parece que tudo
Tem tudo prá ser o que eu sempre sonhei,
No outro dá tudo errado
E acabo perdendo o que já ganhei
Logo de manhã, bom dia...
Um dia eu sou diferente
No outro sou bem comportada,
Um dia eu durmo até tarde
No outro eu acordo cansada,
Um dia te beijo gostoso
No outro nem vem que eu quero respirar,
Um dia quero mudar tudo no mundo
No outro eu vou devagar,
Um dia penso no futuro
No outro eu deixo prá lá,
Um dia eu acho a saída
No outro eu fico no ar,
Um dia na vida da gente,
Um dia sem nada de mais,
Só sei que eu acordo e gosto da vida
Os dias não são nunca iguais!


sábado, 4 de agosto de 2012

Homenageando a lua cheia ...

É noite e eu estou aqui a olhá-la.
Hoje ela nasceu no horizonte de forma encantadora, amarela, iluminando a noite do meu agreste.

Quedei-me na janela do quarto, com todas as luzes apagadas apenas para poder vê-la surgindo de forma que nada empanasse sua beleza. E  fiquei pensando: quantas vezes já te olhei dessa forma, amiga querida? Quantas vezes me alegrei ao ver-te surgir clara, brilhosa, alaranjada, desbravando as nuvens e a negritude da noite? Quantas vezes ao contemplar-te não sorri como uma criança unicamente pelo prazer de ver-te?

Há quantas vidas acompanho-te com carinho e devoção esperando teu esplendor máximo para poder louvar ao Criador? Acho que a inúmeras. 

Mas hoje olhando-te ao sabor do vento frio desta noite de agosto peguei-me a pensar em quantas pessoas já sorriram contigo ou choraram sob teus raios luminosos. Quantas longas noites escuras clareastes acabando assim com os medos e receios? Quantos corações esperançosos já fizeram juras de amor sob teu esplendor tornando esses momentos eternizados aos teus olhos? Quantos choros já presenciastes, amiga querida, nessa tua trajetória pelos céus desse mundo desejando secar aquelas lágrimas dizendo: olha, eu estou aqui. Se a noite se curva ao meu clarão e deixa de ser apenas noite, porque a tua vida ou dor não vai passar?! Confia que as sombras do teu dia serão iluminadas pela luz de um novo raiar de sol a aquecer-te o coração de fé e alegrias.

Pois é, amiga.
Muito já vistes, muito já ouvistes, muito já andastes.
Sabes que não tenho sabedoria para ser poetisa, querida Lua. 
Apenas rabiscos linhas e transformo-as em textos onde tento expressar meus pensamentos.

Mas hoje gostaria de ter a sabedoria do poeta para em verso e prosa poder cantar-te e assim enaltecer a beleza da tua presença na minha vida.

Lua amiga que brilha no céu.
Lua que clareia o meu caminhar.
Afasta a escuridão da minha vida.
E faz ela voltar a brilhar.

Não te peço o brilho efêmero do mundo,
não te rogo a ilusão do triunfo,
apenas te peço a alegria do ser e existir
apenas te rogo que voltes sempre para me fazer sorrir.

Guia meus passos pelas sendas da minha decisão
dirige-me para o encontro daquilo que busco com sofreguidão.
Auxilia-me a decifrar esse caminho a seguir
Fica comigo que com tua presença nunca pensarei em desistir.

Um beijo amiga Lua
Me despeço por hoje do teu encanto
Feliz e satisfeita por contemplar-te de minha janela,
torcendo por rever-te em breve e muito, muito mais bela.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Eu, a lua e uma reflexão ...

Olá meu povo!
Tem coisa melhor do que sexta-feira e, ainda por cima, com lua cheia no céu?! Eis a combinação perfeita para se iniciar um fim de semana.

Hoje estou a contemplar a noite no agreste pernambucano e agradecendo à Deus por tanta beleza. Aqui o céu está limpo, sem uma nuvem, estrelado e deliciosamente azulado por causa da minha querida lua cheia.
Gosto de olhá-la. Ela me faz pensar. 

Vocês já sabem que sou "apaixonada" pela lua cheia. Isso não é novidade para ninguém. Mas um dos motivos para essa minha paixão é que ao observá-la sinto algo saudoso, nostálgico, ao mesmo tempo uma alegria interna imensa. Amo contemplar a noite, acho-a mágica com suas estrelas brilhando como pequenos diamantes incrustados no manto negro do céu. E nela literalmente deixo o pensamento e o coração voar longe.

O mês de agosto começou de forma especial, com cara de mudança.
Novos desafios, novos aprendizados, novas descobertas.
Mas também com algumas determinações. E uma delas foi a de começar a me livrar de ilusões, acerca de mim e de pessoas. Abandonar "velhas amarras" tanto físicas como emocionais e que não vinham me deixando caminhar nos últimos tempos. Isso é fácil? Não, mesmo. Mas possível.

Essa decisão veio ser corroborada por uma frase que recebi essa semana da minha "consultinha" semanal ao meu caríssimo OSHO, que faço pelo facebook. E a frase que saiu me chamou muito, mas muito a atenção mesmo. Vejam qual foi: 


"É muito raro uma pessoa querer ser feliz - diga ela o que disser. É muito raro que uma pessoa esteja pronta para ser feliz - as pessoas fazem grandes investimentos na sua desgraça. Adoram ser infelizes...na realidade, sentem-se felizes por serem infelizes." 


Sinceramente, ele está certo.
Temos a péssima mania de dizer que queremos ser felizes, mas vivemos nos boicotando e, o que é pior,  investimos na nossa infelicidade com todo o gás.

Ficamos presos a amores que já acabaram mas, dos quais, não aceitamos nos desapegar. E preferimos viver o passado e ficar presos a alguém que não nos quer, do que encarar o desafio de nos vencer e abrir o coração para amar de novo. Deixar o novo e o outro entrar em nossa vida. Vivemos da "ilusão do passado" para fugir do "desafio do presente".

Ficamos amarrados a empregos que não nos completam ou a profissões com as quais não temos identificação por medo de "perder o status financeiro" tão cultuado em nossa sociedade, por puro comodismo, ou porque não acreditamos no nosso potencial. E assim vamos ser profissionais medíocres que "só fazem o que lhes cabe", sem prazer nenhum, stressados, desmotivados, cujo única válvula de escape para compensar as frustrações com essa área é gastar dinheiro com compras, viagens, carro do ano e baladas.

Ficamos guardando durante anos a fio mágoas e rancores de coisas e pessoas que já aconteceram ou passaram pela nossa vida há muito tempo, ao invés de relevar, tentar entender as razões do outro, perdoar e caminhar. Com isso adoecemos por dentro.

Queremos compensar nossas carências e frustrações seja com posturas de auto defesa tipo, agressividade, arrogância, negativismo, ou com as compulsões diversas. Preferimos nos auto destruir do que ter a coragem de olhar pra dentro da gente mesmo e buscar as respostas, as vezes dolorosas, mas sempre necessárias para que possamos realmente promover mudanças substanciais na nossa existência.

Pois é, assim somos nós.
Mas não era assim que devia ser. Porque nós nascemos para sermos felizes, pessoas realizadas, ativas, emocionalmente sadias. Esse é o nosso destino e a gente vai caminhar para ele de todo jeito.

Mas é preciso ter vontade, consciência de que precisa dar esse passo de mudar, desejo sincero de fazer, e perseverança e coragem para conquistar essas modificações. Acho que só quando a gente se cansa de dar tanta cabeçada na vida é que nos damos conta de que realmente algo precisa ser feito.

Bom quando essa percepção não se dá por causa de uma doença, da perda de um ente querido, mas sim, pela nossa auto-observação.

Portanto, que tal aproveitar essas noites maravilhosas de lua cheia para pensar consigo mesmo: o que estou fazendo de bom por mim e pela minha vida? Estarei por ventura me prendendo a ilusões, a "bengalas psicológicas" para fugir de mim mesma?

Tenho certeza que maravilhosas respostas virão das estrelas para iluminar seu mundo interno e, quem sabe, não serão elas que vão lhe mostrar e guiar pelo novo caminho?!

Bjs e bom fim de semana.
Xanda

"...Que minha solidão me sirva de companhia.
que eu tenha a coragem de me enfrentar.
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo."
(Clarice Lispector)