terça-feira, 23 de julho de 2013

Valeu Dominguinhos!!


É uma característica minha não gostar de ficar pedindo pra tirar foto com seu ninguém, dito "famoso", só porque é um artista. Tenho o costume de não idolatrar as pessoas pelo cargo que possuem ou por serem pessoas conhecidas. Pra mim, são seres humanos iguais a mim. Mas algumas pessoas são especiais pelo que são ou pela obra que executam. E com Dominguinhos eu tive que abrir a exceção, aproveitando uma coletiva do carnaval de 2012. 

Lembro que no dia comentei com minha querida Katherine, do G1, que gentilmente registrou o momento, que eu tinha que aproveitar aquela oportunidade porque não sabia quanto tempo mais de vida ele teria. Compartilhou ainda a foto meu colega Jaderson. Hoje, dia 23 de julho de 2013, finalmente descansou do sofrimento físico nosso querido Dominguinhos.

Fico um pouco mais orfã, eu que sou amante da música nordestina, apaixonada pelo som da sanfona e do acordeon. Já havia me despedido de Sivuca, agora tenho que dizer até breve a esse nordestino que com sua simplicidade e timidez no palco fazia seu instrumento falar sem uma palavra.

Dominguinhos vou sentir muita falta de seu talento, meu caro, mas lhe agradeço a generosidade de tê-lo compartilhado conosco, nordestinos que amamos o que somos e nossa cultura.

Vai com Deus. 
Desapega-te do que aqui fica e vai abrilhantar os grupos musicais do plano espiritual. 
Tenho certeza de que hoje tem forró e dos bons por lá, pra recepcionar-te. Seu Lua, Sivuca, tudinho te esperando para fazer um arraiá daqueles "danados de bom".
Um bj no coração de sua fã, Alexandra.


Em plena serra ...

Estou no meio da serra. 
Do alto contemplo a cidade.
Pequenos pontos de luz encravados na encosta.
Vidas que dormem na madrugada.

Em meu entorno a natureza exuberante.
Vida pura, pujante.
Que delícia ver o céu límpido,
apenas iluminado pela lua.

Estrelas cintilam no céu azulado.
A brisa fria envolve meu corpo.
Sinto a vida plena que pulsa.
Mergulho na beleza, sinto-me plena.

O vento frio beija o meu rosto.
O vinho me embriaga em seu sabor.
Amo apenas sentir a vida,
em todo o seu fulgor.

Texto escrito em Triunfo-PE, no dia 19.07.13

Amo


Amo esse silêncio.
Amo essa calmaria.
Amo olhar a vida, 
por essa janela.

Amo ver a noite azulada.
Amo ver estrelas e mais nada.
Amo olhar e ver os montes ao longe.
Amo essa paz.

Texto escrito em Triunfo-PE, em 20.07.13

Nostalgia ...


Estou em pleno sertão,
no meio das montanhas.
Clima ameno, calmaria,
vida pacata, oh nostalgia!!

De frente ao lago vejo a vida passar.
Escuto a cidade começando a asserenar.
As pessoas se recolhem e a vida dorme
pra depois recomeçar.

No céu a lua cheia brilha.
Ilumina a noite que mais parece dia.
E no sertão mais uma noite chega,
e com ela, a velha nostalgia.

Texto escrito em Triunfo-PE, no dia 20.07.13

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Na vida sempre é preciso um ponto final.

Oi gente.
Hoje vim falar aqui do "ponto final".
É, isso mesmo, do ponto final.
Cada vez mais descubro que a melhor coisa do mundo é o tal do ponto final.
Quando ele aparece na vida da gente é uma maravilha. Significa que tudo está perfeito.
Sim, porque o ponto final significa que tudo está resolvido, finalizado. Não há pendências.
É fim e pronto.
Não tem coisa melhor do que a gente sentir que algo chegou ao seu término. A sensação de alívio que nos toma é algo inenarrável, maravilhoso. É uma sensação de paz.

Ao contrário de outros "sinais de pontuação", o ponto final te dá a deixa de que outra coisa nova pode começar.

Sim, porque tem o tal do ponto e vírgula. Esse é pura enganação. Faz de conta que acabou, mas nada mais é do que apenas uma "pausa mais longa" numa situação que ainda não se esgotou. Daqui a pouco está você de novo às voltas com aquele mesmo assunto, mesma realidade que se pensou ter superado e voltam as mesmas dores, angustias, sofrimentos.

E a tal da vírgula? 
Há momentos na vida representados por ela. Significa que você ainda vai detalhar, viver, reviver, remexer até encher, uma determinada situação. Quando ela vem separar as coisas boas que estão nos acontecendo é tudo de bom. Afinal, nos momentos de alegria, conquistas, aprendizados, as vírgulas representam um novo capítulo a seguir, mais um bom momento a ser vivido, seja com alguém ou não. Mas, quando essa vírgula intercala períodos de angustias, aperreios, medos, esses "respiros" mas se parecem com soluços, sustos. São apenas rápidos espaços de refrigério até a gente se preparar para a próxima bronca.

Chato é o tal dos "três pontinhos" ou reticências.
Esse significa que algo nem acabou, nem foi solucionado e que está no limbo, ou seja, pendente. E nada mais chato do que coisas pendentes, sem fim, nem começo. Isso acontece normalmente quando a gente não tem coragem de colocar o "ponto final" nas coisas. Ai elas ficam pendentes, apenas consumindo a nossa energia, sem nenhuma solução prática. Isso é ruim, pois pode causar muitos males em nós, tais como, ansiedade, angustia, irritações, nervosismo.

E a interrogação??
Caramba, tem algo pior do que ela?
Essa dita cuja significa incertezas, indefinições, algumas vezes "beco sem saída", ausência de respostas. É outra que "quebra o cristão na emenda", é um aperreio só. Tem coisa pior do que os momentos da vida onde a gente não acha saída?! Desesperador não?

Mas tem a exclamação.
Ah, essa também tem dois lados. Pode ser de uma surpresa ruim, algo que a gente não queria que acontecesse. Uma notícia desagradável, uma perda, um momento difícil que surge de repente. Mas a exclamação também pode ser muito legal quando se trata de algo bom, uma surpresa deliciosa, uma conquista inesperada. Ah, quando ela vem assim é uma delícia!!!

Mas seja lá qual for "o sinal de pontuação que faça parte de sua vida nesse momento", lembre-se: o melhor sempre é poder dar às histórias o ponto final. E isso não significa necessariamente fim, término, mas também começo ou recomeço, definição, rota a ser seguida, determinação. Por isso, neste final de semana, que a pré lua cheia lhe inspire a colocar "os pontos finais" onde for preciso e a definir as rotas necessárias para que sejas mais feliz.
Bjs
Bom fim de semana.


quinta-feira, 11 de julho de 2013

E na noite que chove ...

A noite chegou mais cedo aqui em Olinda.
E veio molhada, carregada de chuva.
Da sala do apartamento ouço o gotejar intenso da água que cai nos telhados.
Sinto o momento.

Completo silêncio ao meu redor, a não ser pelo barulho da chuva.
Tento silenciar o mundo interno.
Busco ouvir os sons do mundo que me cerca.
Tento a vida sentir.

Na serenidade desta noite que chega,
vejo quão belo é o chover.
Lavando ruas, pontes e avenidas.
molhando tudo por puro prazer.

E prazer sinto em contemplá-la,
em poder simplesmente parar para ouvi-la.
Como uma doce sinfonia sendo executada,
acalmando e serenando a vida.

Quem dera que da alma pudessem ser lavadas as dores
com apenas uma bela e doce chuva.
Porque se assim o fosse bastaria apenas o sol nascer para que, 
no antes seco coração, rapidamente brotassem flores.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Uma vida, sempre sentir ...

De um fogo que me consome  
surge a vida que me move.
Infinita, bela, sábia, profunda
Infinita enquanto se move.

Caminhar sem amarras e sem destino.
Viajante solitária da existência
Navegando em mares diversos
ora calmos, ora turbulentos.

Viver, um desafio constante
Sentimentos que acompanham meu caminhar
Fogo possante que me toma
Me levando a sonhar.

Vida, apenas vida.
Toda uma existência
nunca será realmente sentida
Sem a tomada da consciência.

Amar, apenas sentir
Apenas deixar existir
No caminho a seguir sempre
Uma vida, um existir, sempre sentir.

Escrevo ...

Escrevo 
O que vejo
Arremedo
de texto
Lampejo
De um desejo
Não vejo
O medo
Teu beijo
Simples segredo.
.

domingo, 7 de julho de 2013

Você sabe?

Você sabe o que é a vida?     
A luta pelo existir.
O desejo de sentir.
O desafio de ser?

Você sabe o que é o amor?
Esse ato de doar-se.
Esse desejo de integrar-se.
Essa vontade de ter?

Você sabe o que é a tristeza?
Essa dor que sai das entranhas.
Essa sensação de constante desesperança.
Essa vontade de não ser.

Você sabe o que é fé?
Essa força que te move.
Esse furacão que comove
até quem não quer crer?

Você sabe o que é sorrir?
Essa coisa que vem do íntimo.
Que explode no rosto sem amarras.
Que te faz voltar a ser jovem sem sentir?

Você sabe o que é a dor?
Um sentimento de vazio profundo.
Algo que não se explica no mundo.
Algo que só você pode sentir?

Seja o que for que você saiba.
Saiba que o aprendizado nunca se acaba.
Que a vida será uma eterna cartilha.
Que a nós caberá traduzir.

sábado, 6 de julho de 2013

No silêncio da madrugada ...

Silêncio.   
Lá fora o mundo dorme.
Ouço apenas o som da chuva no telhado.
Tudo é serenidade.

Madrugada.
Momento de recolhimento e descanso.
Momento de aconchego e encanto.
E apenas o silêncio se faz presente.

Do sofá
sinto a brisa fresca que entra pela janela.
Vejo aos poucos a noite indo-se bela.
E o dia voltando a raiar.

Sinto o cheiro do orvalho e de terra molhada.
Cheiro de vida.
E o dia nasce mais uma vez sereno e manso.
Lembrando que é hora de recomeçar, que é hora de viver. 

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Já te vais?

Amiga lua já te vais?  
Já partes para teu anonimato assim tão rápido?
Por que não me levas contigo nesse viajar infinito,
para que eu possa contemplar também o que vês?

Minguas calada, quieta, solitária.
Poucos te acompanham e sentem teu findar
Mas estou aqui olhando-te e velando-te
Para que possas logo, logo voltar.

Porque tu clareias as minhas noites mais escuras,
iluminas meu coração as vezes sombrio.
Aqueces minh'alma sedenta de encanto
Acaricias meu olhar vazio.

Vai amiga lua, vai ao teu morredouro
e volta renovada e bela
Brilha em outros céus e noites
fazendo com que a vida de outros seres se torne também bela.

Aurora ...

E vejo a aurora que anuncia mais um dia  
E vejo a vida que volta a brilhar em cores.
Vejo a luz que se irradia ao longe
Vejo o sol que se anuncia majestoso.

Vejo a aurora e penso na beleza do nascer
Olho-a com serenidade e me deixo eternecer
Pois ela sempre nos mostra tranquila
que não há escuridão que não se acabe e luz que não se irradia.

Vejo a aurora a brincar com o céu
pintando-o de azuis, colorindo-o com seu pincel
de encantos, cores e calor
Mostrando pra gente como se faz pra irradiar amor.

É por isso que a aurora me encanta
porque ela me aquece a alma.
Com ela lembro que não importa o quanto eu ande
no fim, um dia, irei chegar num horizonte mais radiante.