terça-feira, 18 de outubro de 2011

Uma estrela verde para a sua semana...

Oi pessoal!!
Como estão vocês?
Semana já em pleno andamento e a gente naqueles desafios que são inerentes ao nosso dia a dia.

Em nossa última conversa falei sobre as dores íntimas que carregamos e das quais fugimos, mais conhecidas por infortúnios ocultos. 

Hoje eu queria falar de esperança.
Esperança é algo tão imprescindível ao ser humano, quanto o ar que ele precisa para viver. É a esperança acompanhada da fé, ou seja, da certeza de se alcançar algo ou atingir um objetivo, que nos faz levantar da cama todos os dias.

Porque se você não tiver esperança de que as coisas podem ser melhores amanhã, de que adianta encarar mais um dia de vida, principalmente quando estás passando por períodos turbulentos, momentos tempestuosos na tua existência? Apenas para viver um dia após o outro?! Para sofrer? Onde estaria Aquele que dizem que é a mais plena sabedoria e bondade? Ou seria ele, então, um Ser carrasco?

Não acredito nesse tipo de Deus. Deus da guerra, Deus do castigo. 
Creio sim, num Deus imensamente Pai, no sentido mais lindo que essa palavra possa ter. Entendo que a vida é a construção daquilo que fazemos no nosso dia a dia e que ela apenas reflete e nos devolve aquilo que nós projetamos nela. E Ele, com a paciência que só um pai sabe ter, mantêm acesa a esperança de que nós, seus filhos, possamos finalmente aprender as lições necessárias para vivermos em paz e com alegria.

As pessoas que não possuem a chama verde da esperança alimentando o seu coração, mesmo que timidamente, não conseguem caminhar. Param no meio do caminho e só fazem esperar a morte chegar. Se acomodam na mesmice, na covardia de viver, no desalento, no desânimo. Adquirem medo de tudo e de todos. Se alimentam do negativismo, do pessimismo.

Por isso, a esperança se torna fundamental na nossa vida. Precisamos acreditar que as coisas vão mudar, mas saber em que bases estamos alicerçando a nossa crença. Se na segurança das reflexões sadias e inteligentes que nos levam a sermos agentes construtivos para que as coisas aconteçam, ou se na ilusão de que Alguém lá em cima vai resolver tudo por nós, bastando que nós barganhemos com ele, seja pelo pagamento de um dízimo, pela frequência assídua a uma campanha do quilo ou por ostentar um rótulo religioso. 

A esperança e a fé alicerçadas na "barganha" são tão voláteis quanto as areias das dunas. Basta soprar o vento forte para que elas sejam desmontadas e levadas para outro lugar. Porém, quando elas se baseiam na rocha sólida da certeza refletida, pensada, raciocinada, não tem ventania que a desmonte. Elas são como o bambu que se dobra sob a força dos ventos mas não se quebra, voltando ao seu normal assim que a calmaria toma conta de novo da natureza.

Por isso, se uma ventania passa nesse momento da sua vida, acenda dentro de você a luzinha verde da esperança e tenha a certeza de que não estás só em nenhum momento da tua caminhada. Há alguém que está olhando por ti e só esperando o momento certo pra te dizer: "agora você conseguiu!! Te alegra, pois nunca estivesses esquecido".
Um bj no coração e boa semana,
Xanda


A ESTRELA VERDE


Era um vez, milhões e milhões de estrelas no céu. 
Havia estrelas de todas as cores: brancas, lilases, prateadas, douradas, vermelhas e azuis. Um dia, elas procuraram o Senhor Deus Todo-Poderoso, o Senhor Deus do Universo e disseram-lhe: `Senhor Deus, gostaríamos de viver na Terra, entre os homens...' "Assim será feito" - respondeu Deus - "conservarei todas vocês pequeninas como são vistas e podem descer até a Terra." 

Conta-se que naquela noite houve a mais linda das chuvas de estrelas. Algumas aninharam-se nas torres das igrejas, outras foram brincar e correr com os vaga-lumes dos campos, outras misturaram-se aos brinquedos das crianças e a Terra ficou maravilhosamente iluminada.

Passado algum tempo porém, as estrelas resolveram abandonar os homens e voltar para ao céu, deixando a Terra outra vez escura e triste. "Por que voltaram?" perguntou Deus à medida em que chegavam novamente ao céu. 
"Senhor, não nos foi possível permanecer na Terra; lá existe muita desgraça, muita fome, muita violência, muita injustiça, muita maldade, muita doença." 
E o Senhor lhes disse: "Claro, o lugar real de vocês é aqui no céu, estamos no lugar da perfeição, no lugar onde tudo é imutável, onde nada perece." 

Depois de chegadas todas as estrelas e conferindo-lhes o número, Deus tornou a falar: "Mas está faltando uma estrela... Perdeu-se pelo caminho?" 
Um anjo, que estava perto, replicou: "Não, Senhor, uma estrela resolveu ficar entre os homens. Ela descobriu que o seu lugar é exatamente onde existe imperfeição, onde há limites, onde as coisas não vão bem." 

"Mas que estrela é essa?" - voltou Deus a perguntar. 
"Por coincidência, Senhor, é a única estrela dessa cor." "E qual a cor dessa estrela?"- insistiu Deus. E o anjo disse: "A estrela é verde, Senhor, a estrela verde do sentimento da esperança." 

Quando então olharam a Terra, a estrela já não estava só. 
A Terra estava novamente iluminada, porque havia uma estrela verde no coração de cada pessoa". 

Nenhum comentário:

Postar um comentário