segunda-feira, 9 de maio de 2011

Que tal aprender a temperar melhor a sua existência com o sal da vida?!

Oi meu povo!!!
São Paulo que me desculpe, mas definitivamente o título de "terra da garoa" agora vai para Pernambuco! Hoje, quando não caia um "toró" (grande volume de chuva em nordestinês) ficava garoando. Vamos combinar que voltar a ter inverno é uma delícia. Agora que São Pedro tá exagerando na dosagem da "ducha" aqui pra baixo, ah isso tá!! Mas, enfim...
Para esta semana eu queria falar um pouquinho sobre a dor.


Dor tem de todo jeito. Tem dor física, oriunda de algum problema no corpo; tem dor moral advinda de um sentimento de culpa ou de remorso; tem a tal da "dor de cotovelo" quando você leva um fora de alguém. Há quem diga que sofre de "dor de amor", ou seja ama tão alucinadamente alguém que sofre só de pensar na possibilidade de perder o convívio com aquela pessoa.


Bom, seja qual for o tipo ou motivo da sua dor, saiba que ela chegou porque é o momento da aferição, do aprendizado.


E antes que alguém aqui diga que estou fazendo "apologia da dor" aviso logo que tô forita disso!! Nem de dor eu gosto! Mas sei que a dita cuja quando nos visita é porque tá na hora da gente aprender alguma coisa. Mas, para aproveitar a experiência é preciso aceitá-la, reconhecê-la e tratá-la com a seriedade e dedicação que ela merece. 


Porque quando a gente não se resolve bem com a dor, ela fica conosco "ad eternum", ou seja, eternamente, escondida em algum recanto da nossa mente só esperando o momento certo para "pimba" dar o bote no dono desavisado. Essas emoções reprimidas e negadas terminam virando lixo mental e energético. E como todo "entulho" que é acumulado, chega um momento em que a bagunça é tanta que é necessário limpar. O problema é por onde ela vai sair.


Mágoas, rancores, ódios, invejas, desilusões, culpas, remorsos, são sentimentos e emoções, assim como outros, que refletem diretamente no corpo físico. Isso significa dizer que se forem ruins nos intoxicam, se forem bons nos harmonizam e vitalizam.


E ai, que tipo de sentimento ou emoção você andou engolindo nos últimos dias, meses ou anos da sua vida?! O que foi que você andou negando pra si mesmo?!


Se você ainda vive "ressentido" com fatos antigos, saiba que acabas de ser promovido à classe dos ruminantes, pois ressentir significa "sentir de novo, e de novo, e de novo". Ou seja, você está igual a uma vaca: pega o sentimento traz de volta pra boca, mastiga de novo, engole. Daqui a pouco, regurgita o alimento pra boca de novo, mastiga mais um taquinho e engole. Ficar relembrando coisas ruins que já passaram e sentindo ainda o mesmo sentimento, não é igualzinho ao que faz a vaca com o alimento dela?!! Ou seja, você está se alimentando de emoções e sentimentos ruins todos os dias. 


Pois se você tá nessa, meu amigo ou minha amiga, saia dela rapidinho. Pois ressentimento é doença crônica do sentimento que fica "encruada" e só traz coisas ruins. Ao invés de ficar no papel de vítima, trata de olhar o que podias ter aprendido com aquela situação difícil e deixastes passar desapercebido. Tudo na vida depende do ângulo que eleges para olhar.


Na historinha abaixo, um velho sábio ensina como a gente pode aprender a transformar as coisas ruins em boas coisas, ou a olhar de forma diferente para elas.


Bjs e uma boa semana!!! 
Xanda


ONDE VOCÊ COLOCA O SAL?
O Velho Mestre pediu a um jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal em um copo d'água e bebesse.
- Qual é o gosto? - perguntou o Mestre.
- Ruim - disse o aprendiz.



O Mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago.
Os dois caminharam em silêncio e o jovem jogou o sal no lago.


Então o velho disse:
- Beba um pouco dessa água. Enquanto a água escorria do queixo do jovem o Mestre perguntou:
- Qual é o gosto?'
- Bom! disse o rapaz.
- Você sente o gosto do sal? perguntou o Mestre.
- Não... - disse o jovem..



O Mestre então, sentou ao lado do jovem, pegou em suas mãos e disse:
- A dor na vida de uma pessoa não muda. Mas o sabor da dor depende de onde a colocamos.
Quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é aumentar o sentido de tudo o que está a sua volta. 


É dar mais valor ao que você tem, do que ao que você perdeu.
Em outras palavras: É deixar de Ser Copo para tornar-se um Lago. 
; )

3 comentários:

  1. Oi minha querida Xanda
    Quando o matutar demanda
    Você faz tocar a banda
    Com tanto esmero e sabor
    Que traz pra gente alegria
    Um toró de poesia
    Seje feliz minha fia
    Abraços do Cantador!

    ResponderExcluir
  2. Pusitivu!
    ^^
    Ser lago é o canal.

    ResponderExcluir