terça-feira, 7 de junho de 2011

Acredite em você nessa semana!

Bom dia, meu povo!
Semana já em pleno andamento e nos convidando a agir.
Espero que estejam todos de alto astral, pois o sol aliado a esse ventinho gostoso está nos convidando a sorrir.

Hoje quero falar sobre determinação e insegurança. Você acredita em si?
Há pessoas que possuem uma dificuldade danada de seguir em frente. Se abalam por qualquer coisa, desistem dos sonhos facilmente, não acreditam em sua capacidade de fazer e conseguir as coisas.

Elas são plenamente dependente do que os outros pensam e dizem dela. Algumas passam a desacreditar de si porque os outros não acreditam nela. E passam a viver uma vida medíocre, infeliz, sufocando seus desejos e vocações.

Há também o outro oposto: gente que acha que pode tudo. Que faz, acontece e que tudo tem que se submeter aos seus desejos e vontades. E quando a vida não lhe dá o que "elas se achavam merecedoras" ou, "as coisas não saem como elas pensavam", pronto: é depressão, revolta e, em casos mais extremos, até atentado contra a própria vida.

Falando em morrer é bom a gente lembrar que se pode morrer de diversas formas. De uma vez, dando um tiro na cabeça, se jogando de um prédio. Ou podemos ir nos matando aos poucos, suicídio lento, reprimindo mágoas, angústias, decepções, não se achando capaz de fazer as coisas, se afastando dos caminhos que nos levariam à nossa felicidade por medo, preguiça ou acomodação. Essas coisas, aos poucos, vão nos matando, nos fazendo perder o viço, nos tirando a alegria de viver. Isso é suicídio inconsciente.

Mas tem gente que consegue superar todos e quaisquer prognósticos que se façam para elas. 
Vão atrás dos seus sonhos, mesmo sendo tachados de loucas.
Se recusam a viver uma vida medíocre, pautada no que as outras pessoas pensam que elas devem fazer.
Elas pensam por si próprias. 
Elas passam a acreditar em si e a descobrir, aos poucos, os caminhos que vão levá-la aos objetivos desejados. 
Elas passam a superar suas limitações.

Um maravilhoso exemplo disso são as pessoas portadoras de alguma deficiência física. 
Quantas, ao invés de se acomodarem ao conceito equivocado de "inválidos", mostram que ter uma deficiência é apenas uma contingência da vida para um aprendizado maior de superação de si mesmos.

E ai, fico pensando em nós, pessoas ditas "normais" fisicamente, mas que com a primeira dificuldade desistem da vida, dos sonhos, das pessoas, de si mesmos. 
Basta uma frustração pra "o mundo cair", querer bater nos outros, se detonar com álcool, drogas, ansiolíticos e outros "analgésicos" passageiros que, ao terem seu efeito terminado, só aumentam o sentimento ruim que estava por dentro. Não curam. Mascaram e nos fazem perder o momento do aprendizado, do fortalecimento das nossas emoções para administrar as ondulações da vida.

Por isso, essa semana eu convido você a conhecer o caso de uma mineira, a Dona Virgínia Diniz Carneiro.
Ela foi uma das pessoas que deram seu depoimento ao final da novela "Viver a Vida", da Rede Globo. A novela não prestava, mas os depoimentos eram interessantes. E esse, particularmente, é fantástico.
Nós o utilizamos num seminário realizado no último final de semana em Petrolina, em parceria com o amigo Carlos Pereira, e que tinha como título: Alegria de Viver.

Se você é daquelas pessoas que não acredita em si ou andou desistindo dos seus sonhos porque alguém disse que era impossível realizá-los, permita-se alguns minutos e veja o depoimento dessa mulher que se recusou a acreditar em três frases que lhe eram atribuídas permanentemente:
Você não pode
Se você não fosse assim
Quando você melhorar

Espero que ela lhe estimule e faça-o reconhecer que:
- Você pode
- Você é o que é mas pode melhorar e por isso, deve acreditar nisso e seguir em frente
E que você pode fazer tudo dentro dos seus limites, se souber entender o que a vida quer de você.

Cada um de nós tem algo bom pra fazer aqui. 
Se você não sabia, fique sabendo e comece isso AGORA!!
bjs e boa semana!
Xanda



Nenhum comentário:

Postar um comentário