segunda-feira, 11 de julho de 2011

O ser verdadeiramente alegre é aquele que está desperto.

Oi gente!
Aproveitando o fim da segunda-feira chuvosa aqui em Olinda, para dar uma passadinha e conversar um pouco. Semana começou com clima de inverno aqui pelas bandas nordestinas que é pra gente não ficar com inveja dos nossos irmãos sulistas que estão "virando picolés" literalmente!!


E pra esquentar essa "frieza toda" eu queria falar hoje sobre a tal da alegria.
Será que a gente sabe realmente o que é ser alegre?!


Há quem ateste que alegria é você ter paz de espírito. Concordo.
Quem vive em paz com sua consciência e com o seu coração não tem como não ser feliz, pois é alguém que já identificou o seu papel nesse mundo, já sabe quem é, o que quer e deve fazer, o que gosta e o que não gosta, independente da aprovação de A, B ou C.


É verdadeiramente feliz quem consegue olhar para dentro de si sem medo, sem vergonha, mas com compreensão, indulgência e auto amor, não tendo medo de ser quem é. Quem admite seus erros e busca a cada dia ser uma pessoa melhor. Quem se alegra com suas conquistas mas, sabe que ainda tem muito o que melhorar e não se acomoda no primeiro passo.


É feliz quem consegue descobrir qual o "caminho que Deus traçou pra si" e passa a segui-lo com determinação e coragem, não esmorecendo ao encontrar problemas e desafios. Para quem vive a felicidade de fazer o que gosta os problemas não são "pedras paralisantes", mas apenas obstáculos a mais para serem pulados, contornados ou removidos e que lhe trarão mais amadurecimento e alegria na conquista de seus objetivos.


Consegue ser feliz quem sabe viver com o que tem, sem ansiar mais do que pode, mas aproveitando o que a vida lhe dá e oferta naquele momento para o seu crescimento e sustento. Quem pode sonhar sonhos possíveis e luta realmente para concretizá-los. Quem sabe se alegrar com pequenas coisas como o sorriso de uma criança, um belo por de sol, o nascer de uma lua cheia, com a festa barulhenta de um cachorro ou com o desabrochar de uma flor no jardim.


Consegue ser feliz quem dá uma guinada na sua vida, quando tudo parece estar dando errado. Quem não tem medo de começar de novo, seja qual for a sua idade. Quem não acredita que a meia idade ou a boa idade são o fim, mas descobre nelas o verdadeiro início das grandes descobertas e muda seus caminhos buscando aquilo que realmente lhe dá prazer.


Sabe ser feliz quem não enxerga apenas o mal no outro, quem consegue ainda acreditar no ser humano, na existência da bondade e do bem. Quem consegue ver por detrás das ações de quem o agride, o ser humano muitas vezes doente, inseguro, com medo. Quem sabe tirar o melhor de todas as situações e sabe aprender com cada uma delas, sejam boas ou ruins, transformando-as em sincero aprendizado.


Entretanto, pensa que é feliz quem vive fugindo de si, do encontro com o seu próprio eu e passa a viver um personagem, uma ilusão. Quem vive de aparências querendo ser o que não é, quem foge do seu destino, daquilo para o qual foi criado para executar, seja por medo, seja por revolta, seja por desistência.


Pensa que é feliz quem esconde suas dores e mágoas no fundo da mente, negando senti-las, e tenta afogá-las nas saídas ilusórias do álcool, das drogas, das noitadas sem limites, dos infinitos parceiros de cama sem sentimento. Numa tentativa errônea de euforia momentânea exacerbada, que cessa com o apagar das luzes, com o fim do efeito, com a chegada do dia.


Pensa que é feliz quem lesa o patrimônio alheio, público ou privado, tirando da boca de quem passa fome, de quem realmente precisa, o básico para viver com dignidade apenas para desfrutar egoisticamente do que não lhe pertence. Que se locupleta da miséria dos outros para ostentar uma riqueza ilusória, achando que ficará impune por toda a existência, coitado!!


Pensa que é feliz quem semeia a discórdia no ambiente de trabalho, no seu meio social, na família, no seu ambiente religioso, quem difama o próximo simplesmente porque não consegue defrontar a sua própria sombra. Quem projeta no outro, as deformidades que existem negadas em si próprio.


Pensa que é feliz quem vive escravo do corpo com medo do ciclo natural da vida, do envelhecer, do renascer de outra forma.


Alegria e felicidade são conquistas da alma desperta, lúcida, que compreendeu que só ouvindo a voz Divina em si, e passando a viver de conformidade com ela, entendeu que as coisas transitórias do mundo aqui ficam ao final da jornada e que a única propriedade verdadeira que possui é o que construiu dentro de si mesmo.


Portanto, se você anda perdendo tempo no seu conceito de felicidade, não espere mais e mude a rota agora mesmo, pois independente da sua idade física, ainda dá tempo de realmente SER FELIZ!
Bjs povo e boa semana!
Xanda


"Felicidade não é simplesmente a realização de todos os nossos desejos; é antes a noção de que podemos nos satisfazer com nossas reais possibilidades"             (Hammed)

Nenhum comentário:

Postar um comentário