segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Que tipo de condicionamento mental você alimenta?

Olá, bom dia!
Chegamos a mais uma segunda-feira, isso significa início de semana e de novos desafios e aprendizados.
Que bom. Novas oportunidades chegam para aqueles que estiverem abertos a elas.
E começar a semana com lua cheia, ui!!! Ai é melhor ainda!! Significa começar a semana com todo o gás e energia. ;)

Hoje eu queria compartilhar com vocês uma reflexão que vem me acompanhando nos últimos dias, sobre a questão do condicionamento mental.
Condicionamento é tudo aquilo que você faz de forma repetitiva sem perceber. Tem gente que é condicionado a fazer o mesmo caminho de casa para o trabalho, do trabalho para casa, sempre. Se mandar ele ir por outro local, ele não vai porque não sabe. O condicionamento o faz entrar num "piloto automático" onde ligou a chave do carro, a mente o leva direto para o caminho já conhecido.

No que se refere a nossas atitudes diante da vida e sobre a forma como nos vemos, o condicionamento se dá pelas respostas que temos aos diversos estímulos que nos chegam seja de fora, seja até de nós mesmos. Por exemplo: como você reaje quando alguém lhe critica? Qual a sua reação diante de uma dificuldade? Pensar com calma e buscar a saída, ou entrar em pânico e já se sentir um derrotado?

O condicionamento mental é algo muito interessante e, ao mesmo tempo, muito sério, pois ele é o grande determinante das nossas vitórias ou fracassos na vida. Explico.

Teu condicionamento mental faz com que você reaja sempre da mesma forma a determinadas situações que para ti são incômodas ou mal resolvidas. Como não fomos educados para sermos responsáveis pelos nossos atos, nem para aprendermos a olhar nossos sentimentos e emoções, simplesmente não percebemos que somos "negativados" em muitas de nossas iniciativas simplemente pela forma como pensamos o mundo que nos cerca e o que somos.

Isso se dá pela forma pessimista como pensamos as coisas externas e, pior ainda, como nos vemos. A ausência de auto amor, de autoestima, de confiança nas suas potencialidades, de fé em si e na energia cósmica que rege a nossa vida. Pessoas que só pensam o mal de si e dos outros não têm como ser tranquilas e felizes.

Existem pessoas que só vêem "sacanagem" ao seu entorno. Para elas, todos querem lhe passar a perna, lhe derrubar, lhe tirar algo. Tá certo que existe gente sacana mesmo no mundo, porém alimentar 24h por dia esse tipo de pensamento significa que alguma coisa está errada com você. O problema não são os outros. É a sua mente que está doente, condicionada numa vibração inferior.

É o mesmo comportamento de umas pessoas "neuróticas" com violência. Tem gente que alimenta-se mentalmente 24h dessa questão, seja pelos programas que assiste, pelas conversas que alimenta, ou pelas cenas mentais que fica criando constantemente. Algumas chegam ao cúmulo de dizer: "eu deixo uma carteira e um celular reserva no carro dar ao assaltante". Ora! No momento em que eu mentalizo isso, que eu digo e faço isso, eu estou dizendo para a energia universal que me cerca: "tô aqui a disposição do ladrão. Pode mandar ele vir". Porque você não chama logo ele para tomar uma cerveja e mata uma galinha gorda também para vocês trocarem umas figurinhas?!! Muito mais negócio!

Outro problema do condicionamento mental negativo é com relação a nós, a forma como nos vemos. Somos espíritos que estão a tanto tempo "pisando na bola" que alguns de nós chegaram ao ponto de dizer pra si: eu não mereço ser feliz. E internamente, no fundo da nossa mente, a gente não acredita mesmo que seja merecedor de ter uma vida feliz, encontrar uma pessoa bacana para compartilhar a sua vida, ter metas e alcançá-las. 

Com isso nos acomodamos em empregos que não nos dão prazer, em relacionamentos medíocres, abrimos mão de sonhos, simplesmente pelo medo de tentar fazer diferente. Porque nossa mente nos diz que "não somos capazes", que temos que dar graças a Deus pelo que temos (mesmo que nos traga dor, sofrimento e angústia) e nos acomodar naquilo. Mas, ai vem a vida e dá-lhe uma rasteira, tira-lhe sua pseudo segurança e lhe força a olhar pra dentro de si e mudar sua forma de pensar, de agir e de viver. Isso, quando você não adoece da doença da moda, chamada "depressão".

Ainda bem que existem pessoas que usam o condicionamento mental de forma positiva. Elas usam o poder de sua mente para criar o mundo e a vida que elas desejam para si. Acreditam em si, confiam nos seus sentimentos, olham a vida e as coisas com otimismo com alegria. Não são alienadas achando que "vivem no mundo de Polyanna" e que não existem as coisas ruins no seu entorno. Porém, não alimentam dentro de si negativismo, inveja, nem vivem com medo da vida. Olham tudo que lhes acontece como um  momento de aprendizado, e não de derrotismo. Usam os obstáculos como "trampolins" para crescer e não como "muro para as lamentações".
A medicina do mundo já comprova a importância do "bem pensar" para que possamos ter saúde física e mental e para que a nossa vida mude de rumo.

Portanto, nessa semana que tal você aproveitar as belas noites de lua que teremos, parar um pouquinho contemplando-a e analisar: que tipo de pensamentos estou criando para a minha vida? Estou me amando ou me desvalorizando? Estou me ajudando a crescer e ser feliz ou me boicotando? Estou me aceitando ou me rejeitando?

Boas descobertas e uma semana iluminada para você.
Xanda

A BATALHA DOS LOBOS
Uma noite, um velho índio falou ao seu neto sobre o combate que acontece dentro das pessoas. Disse-lhe:
- A batalha é entre os dois lobos que vivem dentro de todos nós.
Um é Mau: é a raiva, inveja, ciúme, tristeza, desgosto, cobiça, arrogância, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade, orgulho falso, superioridade e ego.
O outro é Bom: é alegria, fraternidade, paz, esperança, serenidade, humildade, bondade, benevolência, empatia, generosidade, verdade, compaixão e fé.
O neto pensou nessa luta e perguntou ao avô: - "E qual é o lobo que vence? "
O velho índio respondeu: - "Aquele que você alimenta!"
 



Um comentário:

  1. Por vezes bem sei que é inevitável, mas deveríamos evitar tomar decisões muito rapidamente.
    Os sentimentos sempre são processados mais rápido que a razão.

    Respire fundo, conte até dez e se pergunte:
    O que é melhor para mim?

    Já percebeu que quando estamos em nossa casa, próximo do horário de dormir tudo o que aconteceu de manhã parece ter sido um sonho?

    Sabemos que o tempo “demorou” para passar no trabalho, mas já não sabemos precisar quanto, lembramos da hora do almoço, mas já fica difícil lembrar exatamente o que comemos ou quem encontramos no elevador.
    É incrível como a realidade rapidamente se transforma em um sonho e lembramos mais do que nos emocionou do que sobre o que pensamos naquele momento.
    É porque pensamos pouco, na maioria das vezes só lembramos, nos sujeitamos a condicionamentos.

    http://filosofiamatematicablogger.blogspot.com.br/2013/02/um-sonho-de-verao.html

    _________________________

    ResponderExcluir