sábado, 12 de janeiro de 2013

Assim és tu.

Vejo-te sem te enxergar
toco-te sem te tocar
Sinto-te sem te ter perto de mim
Apenas pela força do meu pensar.

Desejo-te com a mesma intensidade de antes,
anseio-te com o mesmo fervor de outrora.
Amo-te com o mesmo amor de sempre
venero-te como em idos tempos.

Mas onde estás, amor meu?
Onde caminhas que não te acompanho?
Onde habitas que não te encontro?

Presença constante em meus pensamentos,
sentimento permanente em meu coração.
Desejo pulsante em mim sempre.

Assim és tu, a quem amo
Esse és tu, a quem clamo
Assim é meu sentir por ti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário