terça-feira, 24 de setembro de 2013

Aprendendo com a sabedoria da lua ...

Para onde te vás, amiga lua?  
Por que já partes se está tão cedo?
Quem definiu que devias morrer sempre em meu horizonte, perdendo tua força e brilho?

(A lua)
Ah, minha amiga,
a hora é de partir.
Preciso ir pois novos caminhos hei de cruzar.
Para isso necessito me diminuir, me anular, para mais adiante resplandecer e te encantar.

Mas amiga lua,
porque não podes simplesmente manter-te bela e brilhosa todo o tempo?
Por que precisas te esconder por algum tempo,
para só então retornar?

(A lua)
Ah, minha amiga!
Em tudo na vida há sabedoria.
Sumo para que também aprendas a contemplar o dia, para que possas por ele almejar.
Porque nada mais doloroso para o ser do que a escuridão,
seja ela da noite ou do coração, e que só a luminosidade do dia pode aliviar.

Então, amiga lua
dize-me em tua sabedoria.
O que fazer se mesmo de dia,
não conseguimos sorrir e sonhar?

(A lua)
Ah, minha querida.
Para a dor que nubla a alma
só a estrela verde da esperança a acalma.
Ela brilha com força e aquece os corações gelados.
Ela renova a fé e dá força aos desesperados.
Ela é o archote que ilumina o caminho.

Mas, amiga lua
como fazê-la brilhar no coração,
quando a mais simples emoção não conseguimos harmonizar?
Onde resgatar os sonhos perdidos,
os amores queridos que não mais vão voltar?

(A lua)
Amiga querida,
lembra-te de minha sabedoria.
Se ontem foi noite, amanhã será dia
e tudo o mais vai passar.
Pois, não há noite eterna sem luz.
Porque o dia fatalmente há de chegar
e com ele tudo iluminar.

Porém, recorda-te de algo importante:
não importa em que exato instante deixastes de acreditar.
Saibas que um dia, assim como eu, que morro, renasço e brilho a todo instante.
Também tu voltarás a brilhar.

3 comentários:

  1. Estimada Alexandra (permita-me tratá-la dessa forma):
    Tive a grata felicidade de ler um texto escrito por você, postado no site ‘Bem Viver’ da querida Saara Nousiainen. E como tinha nesse o link para o seu blog pessoal, resolvi acessá-lo.
    Ao ler seu texto, a priori imaginei que você deveria ser psicóloga, pelos belos apontamentos feitos, mas vi, no seu blog que você é formada em jornalismo. Que pessoa maravilhosa que você é!
    Que dialogo lindo em forma de poesia! Isso denota sua grande sensibilidade. Seria um “pecado” de minha parte, se eu não deixasse nada registrado em seu Blog uma vez que me senti pleno tanto na leitura do texto quanto na leitura de suas poesias.
    A internet, como bem sabes, acaba sendo uma “terra de ninguém” onde se coloca “artigos” ou outros itens infelizes que não tem, como diz o dito popular: não tem nada haver!
    E que maravilhoso encontrar pessoas como você, que dedica uma parte do seu precioso tempo para nos iluminar com sua inteligência e sensibilidade.
    Continue assim, estimada Alexandra e tenha certeza de que a partir de agora, você tem um fã da cidade de Guarulhos (SP) que estará sempre visitando seu Blog “degustando” das maravilhas que nele você compartilha.
    Afetuoso abraço!
    Édson Rodrigues Simões
    03/10/2013

    ResponderExcluir
  2. Edson, boa noite.
    Primeiramente obrigada pelas palavras elogiosas. O blog foi criado depois de anos enviando e-mails para amigos com mensagens onde eu tentava conversar com todos mesmo de longe. Daí, a pedidos, fiz o blog que facultaria a possibilidade de outras pessoas terem acesso aos textos que, nunca foram poéticos. Se olhares as postagens mais antigas verás que eram crônicas. Ainda as produzo, bem menos confesso, mas de uns tempos para cá o sentimento poético tem sido mais forte e depois de tomar coragem resolvi postar alguns deles aqui.
    Que bom que eles lhe fizeram bem. Fique a vontade para visitar esse espaço sempre que sentir vontade. Um grande abraço!

    ResponderExcluir