segunda-feira, 30 de setembro de 2013

No azul do mar.

E aqui contemplo o céu e o mar.
Vejo ao longe o colorido do infinito em seu degradê.
Quem o pintou, belo céu?
Quem te coloriu com tanta sabedoria?

Ah, já sei!
Me dirás que foi o dia.
Mas, como foi o dia se ele já se despede,
Se sua luz se esvai?

Ah, tá.
É a luz do sol que se despede de ti e de mim.
Que te fez colorir e sorrir
Que te fez brilhar com tanto esplendor.

Então, digo obrigada ao sol
Pela generosidade da luz,
Pelo calor que conduz
Meus olhos para tanto encantamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário