domingo, 16 de fevereiro de 2014

Apenas sentindo ...


Quietude.  
Assim está o ambiente em que me encontro.
Sentada na sala, à porta da varanda, 
contemplo a noite azulada envolvida pela música.
Pergunto-me: onde estarás?
Por onde andará minha mente, meu coração?
Questiono-me acerca dos caminhos.
Sinto-me nesse momento sozinha, quieta em minha solidão.

No céu as nuvens passeiam sob o impulso da brisa.
O som do mundo ao meu redor aos poucos silencia, se acalma.
O mesmo acontece com minha mente e coração.
Silêncio …
O momento é de silenciar para ouvir.
O momento é de não pensar para sentir.
O momento é feito pra mim.
Há momentos em que o silêncio é o melhor companheiro.

Olho novamente o céu e vejo o clarão da lua.
Ele tem o poder de debelar a escuridão da noite.
Ele torna o que antes era amedrontador em encanto.
A noite me acalma, me acalenta.
Ela me fala de fim. Ela me fala de recomeço.
O clarão da lua invade minha varanda, toca minha pele, 
sensibiliza minha alma e me deixo por ele envolver.
E termino mais um dia.
E concluo mais um viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário