sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Chuva, lava o tempo ...

Lá fora a chuva cai.
Aqui dentro Betânia canta sua ode ao tempo.
E me pergunto: o que é o tempo?

O que é a vida?
Um mero minuto no espaço, na roda das eras.
Quem és tu, tempo? Amigo ou inimigo?
Que fazes tu comigo?

Lá fora a chuva aumenta, engrossa.
Cai, molha, renova.
Sim, a água e o tempo renovam.
Lava chuva, lava meu íntimo.
Leva aquilo que não sinto, devolve o meu eu.

Canta Betânia, evoca o tempo.
Esse senhor da vida e dos deuses.
Que seja ele o verdadeiro senhor dos nossos destinos.
Sejas bem vindo, tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário