quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

E que em 2016, o Novo Ano comece em você!

Olá pessoas!!!
Rapaz, último dia de 2015. Quem diria?!
O ano passou tão rápido que nem me dei conta que não escrevia há tempos aqui.
Mas hoje não podia deixar de vir aqui de jeito nenhum.

Cronologicamente falando chegamos agora ao final de mais um ciclo, um ano, um período, uma etapa das nossas existências. 2015 se despede com uma velocidade impressionante (nunca vi um mês de dezembro com tanta vontade de terminar, como esse ...) e, sem sombras de dúvidas, será um ano para entrar na história do Brasil e do Mundo. 

Em nenhum outro momento vimos tanto combate à corrupção neste país, tantas estruturas equivocadas começando a ruir. Apareceu gente de bem decidida a mexer na "casa de marimbondo" e mesmo correndo o risco de se picar, mandou ver. Em alguns locais a população foi pra rua e pras câmaras de vereadores e conseguiu barrar a orgia com o dinheiro público que os ditos "representantes do povo" pretendiam fazer. Show de bola!!

Uma movimentação bacana em torno do voluntariado, mesmo que para alguns ainda seja muito mais empolgação, oba oba e status, foi iniciada e começa a dar frutos em várias cidades. De certa forma leva as pessoas a refletirem que a sociedade onde estão inseridas também é de responsabilidade delas, de cada integrante. O bem estar do outro também depende da minha iniciativa, da nossa ajuda mútua.

Também tivemos problemas sérios e dolorosos: estouro da barragem em Mariana, a imigração dos refugiados na Europa, os ataques terroristas ceifando vidas e mais vidas, os eventos climáticos.

Um ano desafiante em alguns aspectos, principalmente no que se refere às questões do Eu, à aquilo que somos realmente. Marte regendo o período prenunciava que as "máscaras cairiam", que as pessoas este ano se mostrariam como realmente eram, e assim aconteceu. Nas relações interpessoais, profissionais, religiosas, políticas, as faces bonitas deram lugar ao obscuro que está dentro de cada um e muitos ídolos de barro ruíram. Que bom. As pessoas estão tendo que olhar para o "mostrengo" que guardam dentro de si e enfrentá-lo e aprendendo que é preciso muito mais para se conhecer e ao outro, do que apenas uma "bela fachada".

Bom, se eu for citar tudo, não cabe aqui, nem é esse o objetivo.

Tô relembrando algumas questões que pra mim foram mais marcantes apenas a título de ilustração, para mostrar que nenhum ano vai ser totalmente bom ou ruim. Cada período tem seus pontos positivos ou negativos e todos eles, sem exceção, possuem o objetivo de nos ensinar algo, de nos fazer crescer. Ilusão nossa achar que teremos uma vida sem problemas, perdas ou necessidades de escolhas. Não existe! Nos momentos de calmaria, a gratidão e a alegria devem tomar conta dos nossos corações num profundo agradecimento à Deus. Mas, nos momentos de dificuldades, dores, aflições, ai estão as nossas grandes oportunidades de mudança, de sair da acomodação, do marasmo em que nos colocamos muitas vezes por medo ou preguiça. Ai sim, a vida está nos dando uma grande chance de acertar e aprender o que, de fato, é importante, significa felicidade, faz a diferença. Ai também deve haver agradecimento.

De minha parte termino o ano de 2015 com um profundo sentimento de gratidão por absolutamente tudo que ele trouxe. Fácil, ele não foi. Mas, sem medo de errar, foi um ano de descobertas, novos aprendizados e, o mais importante, novos direcionamentos de vida. Um desejo imenso de resgatar algumas coisas que deixei de lado, de mudar outras, mas o mais importante é o de olhar com mais gratidão para mim mesma. 

Termino 2015 satisfeita comigo porque consegui cumprir algumas metas.
1. Voltei a fazer uma atividade física regularmente. O Pilates entrou por uma obrigação de saúde, para voltar a ter qualidade de vida, e hoje é um prazer imenso. Se eu pudesse, fazia aula todo dia!!! Agora vamos dobrar a meta (kkkk) e tentar incluir outra atividade física para complementar (meta 2016!!).

2. Voltar a viajar. Pegar a estrada sempre foi algo que me deu um prazer imenso. Tenho alma de cigana, apesar de gostar de ter meu pouso certo!!! Gosto de ir pro mundo, conhecer lugares, ver e ouvir pessoas, e passei anos sem fazer isso. Este ano voltei a realizar esse desejo, o que me rendeu maravilhosas memórias, com amigos incríveis e queridos, e uma leveza maior pra encarar o trampo nos demais dias do ano. Revigorei a alma a cada viagem, por menor e mais simples que ela tenha sido.

3. Encontrar equilíbrio. Esse foi um bom desafio, aprender a equilibrar tudo aquilo que é de fato importante na minha vida, dando a cada um deles (trabalho material e espiritual, família, amigos) o seu devido valor e espaço, e dentro disso achando também espaço para mim, para ficar comigo, me cuidar, ouvir uma música, ver um filme ou, como diriam os italianos, curtir um "dolce far niente" sem culpa alguma. Não vou dizer que cheguei ao ponto de equilíbrio do jeito que eu queria, mas já dei os primeiros passos para isso e, em 2016, essa meta continua firme e forte. (vamos dobrá-la, vamos dobrá-la!!) kkkk

4. Tomar posições. Opa, aqui foi um negócio meio punk. Mas consegui finalmente tomar algumas posturas para comigo esse ano, cujos frutos só serão percebidos realmente a médio e curto prazo por mim mesma. Decisões, antes proteladas, agora entraram na lista do "Top 10', ou seja, daquelas que passam a ser metas e objetivos concretos, e não mais empurradas com a barriga. Deixando muito lixo para trás, desocupando os espaços internos e externos para novas energias, novas ações e ocupações. Vejamos como isso caminha em 2016.

Bom, pelo que vi o novo ano será regido por Oxalá, ou seja Jesus (é bom mesmo o patrão chegar junto pra nos ajudar a botar "ordem na zona") e Iemanjá, a bela rainha do mar, muito ligada ao afetivo, à maternidade. Vai ser um ano de pensar no outro, no próximo, isso é bom. O Sol é o grande astro a iluminar o ano, ou seja, na medida certa dá fartura, beleza, ordem; no exagero traz problemas como queimaduras, destruição. No Tarot a carta é a do Eremita, ou seja, o símbolo da paciência e da sabedoria. 

Em todas as previsões os termos recomeço e sabedoria aparecem. Isso significa novas oportunidades, quebra do velho que não foi alicerçado em bases sólidas, o que surgiu da ilusão vai sumir do mapa para que algo de novo, real, sólido, chegue e cresça. Mas também é um ano onde a paciência será fundamental para que esperar os frutos crescerem e se tornem realmente maduros. Será um período de plantio para uma colheita mais próspera à frente.

Independente de como o ano seja, o que vai mesmo fazer a diferença é como você vai ser ou se portar em 2016. Como diz uma tirinha da Mafalda que eu amo: todos esperam que o próximo ano seja melhor, enquanto o ano é que espera que as pessoas sejam melhores. 

E assim é. O mundo só será melhor, de mais paz, amor, fraternidade, solidariedade quando eu e você conseguirmos introjetar essas coisas em nossos corações e, consecutivamente, conduta, construindo assim o ambiente que desejamos viver. O que nos cerca é o resultado direto do que somos, do que sentimos e pensamos.

Portanto, se você quer um 2016 realmente diferente olhe pra si e veja o que podes mudar em si mesmo. O resto virá por acréscimo.

A você deixo um bj no coração e o desejo sincero de um Novo Ano na nossa vida, em todos os sentidos. Mas não fora, e sim, dentro da gente.

Até 2016!!!!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário