terça-feira, 26 de abril de 2011

Perfeccionismo também é sinal de problema.

Oi gente, bom dia!!!
Passando rapidinho para desejar uma boa semana pra todo mundo.

Eu tava matutando (pensando em bom nordestinês) aqui com meus dois neurônios sobre uma mensagem que peguei num dos aplicativos do Facebook e que falava sobre a mania de perfeição. E eu fiquei me lembrando de mim e de um monte de gente que eu conheço que tem mania de querer ser perfeito em tudo e, pior, achar que tudo ao seu redor tem que ter a mesma perfeição. 

Eu já venho a algumas semanas falando sobre pessoas que vivem reclamando de tudo. Pois bem, isso também ocorre com quem tem síndrome de perfeição. Tem um escritor de quem gosto muito, Hammed (antes que perguntem, ele já está do lado de lá e psicografa pelo Francisco do Espírito Santo Neto), que tem um livro bacana intitulado Renovando Atitudes. Nele, há um capítulo dedicado ao perfeccionismo. Ele já começa a narrativa dele com a seguinte pérola:

"As tendências ao perfeccionismo têm raízes profundas e escondidas revelando, às vezes, um grande medo indefinido e oculto. A diferença principal entre um indivíduo saudável e o perfeccionista é que o primeiro controla sua própria vida, enquanto o segundo é controlado sistematicamente por sua compulsão pertinaz. (...)

Por exemplo, se começam a apontar um lápis, levam o objeto à destruição em alguns minutos, pela busca milimétrica de perfeição. Outros sintomas ou sinais mais comuns: certas pessoas são obcecadas em dispor as coisas simetricamente, de modo que não fiquem um centímetro fora do lugar.

Quanto mais verificam, mais querem checar e mais têm dúvidas. Os perfeccionistas necessitam ser impecáveis, respondem a todas as perguntas, mesmo àquelas que não sabem corretamente.

Por possuírem desordens psíquicas, buscam incessantemente controlar a ordem exterior, vigiando os comportamentos alheios como verdadeiros juízes da moral e dos costumes".


Pois é. Quem tem síndrome de querer ser perfeito enrosca a sua vida da pior forma possível. Isso fica mais sério quando a pessoa está em crise consigo mesma. Sim, porque quem é perfeccionista já é uma pessoa que não se gosta, não se aceita, é rígido consigo mesmo e, automaticamente, sai refletindo isso no mundo que lhe cerca. E ai, a gente começa a reclamar de tudo que tá no entorno: o lugar onde moro não presta, a cidade onde moro é isso, as pessoas são aquilo, o jeito que fulano faz algo tá errado, ou seja, eu começo a ficar controlando o que está fora e esqueço de olhar o principal: o motivo interno que está gerando a minha insastifação comigo mesmo e, consecutivamente, com o mundo.

Porque, meu caro ou minha cara, é fácil cobrar coerência das atitudes dos outros. Difícil é a gente aprender a ser coerente conosco mesmo.

É fácil dizer que o outro é isso ou aquilo. Difícil é eu reconhecer as minhas próprias mazelas internas, encará-las e querer assumi-las e mudá-las.

É fácil dizer o que os outros devem ou não fazer. Difícil é a gente fazer o que deve.

Portanto, faço um alerta (para mim inicialmente, pois sou a primeira a ler o que escrevo) e para quem mais ler essas mal traçadas linhas: se você anda reclamando demais do que lhe cerca e julgando demais as pessoas do seu entorno, tá na hora de olhar pra si mesmo e procurar em si próprio as incoerências que estão lhe incomodando. 

Não há acasos na nossa vida, mas sim apenas reflexos das nossas próprias atitudes e escolhas.
Com a mesma rigidez com que conduzimos nossa vida e a nós mesmos, vamos tentar conduzir o que nos cerca. A vida é feita de aprendizados, erros e acertos (por mais que a gente não goste muito dessa parte de erros). Busquemos ser o melhor que pudermos aprendendo a entender os ciclos da vida no nosso interior e ao nosso redor.

Espero, sinceramente, que sua semana possa ser mais leve pra você e pra quem lhe cerca.

Um bj e uma ótima semana.
Xanda


quarta-feira, 20 de abril de 2011

Nessa páscoa opte pela alegria

Oi gente!!!
Bom dia pra vocês. Hoje, pelo menos, tá mais sequinho, né?!!
Tem até réstia de sol por aqui, pense numa coisa boa pra "esquentar os ossos véios"!!!!!

Mas hoje cá estou porque a semana está sendo concluída nesta quarta-feira. Semana mais curta por causa do feriadão da Páscoa. Pra muita gente, são quatro dias para farra, vinho, peixe e feijão de côco (delícia!!) e almoço com a família.

Para outros, são quatro dias para relembrar o "sofrimento" daquele que é considerado pelos chamados "Cristãos" como o Salvador, Jesus.

Eu prefiro dizer que a Páscoa é um momento pra gente refletir e pensar nas qualidades que esse homem chamado Jesus demostrou, nos momentos mais críticos de sua vida e que a gente, pelo menos aqueles que seguem alguma religião ou filosofia cristã, ainda não consegue praticar. Por isso, discordo dessa história de apenas "usar o período para lembrar do sofrimento de Cristo". Perdoem-me se parece uma heresia o que digo, mas tentarei me explicar.

Nos diz a história que foi no período da Páscoa que Jesus se reuniu com os seus apóstolos para a ceia (ele também gostava de um jantarzinho, tão vendo?!!). Entre eles estava também aquele que seria o responsável pela Sua entrega às tropas romanas, Judas. Também estava lá aquele que iria negá-Lo por três vezes na hora maior do testemunho, Pedro. Porém, mesmo já sabendo disso, porque o Ele tinha o poder de saber o que iria acontecer, Jesus os recebeu com o mesmo carinho, da mesma forma como tratou os demais apóstolos. Aqui vemos o exemplo do exercício da COMPREENSÃO do Mestre com as fraquezas dos discípulos, pois ele sabia que cada um só dá o que tem dentro de si.

Ainda nesse momento, um outro belíssimo exemplo foi dado por Jesus ao "lavar os pés" dos apóstolos. Diriam os orgulhosos, aqueles que se envaidecem do mínimo cargo que possuem, "ah, isso é um absurdo. Eles é que deveriam lavar os pés do Mestre". E ai, o Nazareno dava mais um exemplo vivo da sua mensagem mostrando que se deve servir sempre, independente de ser mestre ou aprendiz, corroborando uma frase dita por Ele mesmo: "quem não vive para servir, não serve para viver". Aqui está a lição da HUMILDADE.


Foi ainda no período da Páscoa, que outras grandes lições foram deixadas por Ele e que passam despercebidas por nós.

A primeira foi da NÃO VIOLÊNCIA quando se deixou prender pelos soldados, maltratado e crucificado sem em nenhum momento deixar-se levar pelo seu lado sombrio, escuro, da agressão, do revide. Muito mais coragem precisou ele para "não retribuir o mal com o mal, e sim com o bem".

A segunda foi do PERDÃO INCONDICIONAL às ofensas e agressões que lhe fizeram, não vendo a turba ensandecida pelas suas próprias sombras como inimigos, e sim pessoas doentes da alma que não conseguiam entender uma mensagem que falava de AMOR, DOAÇÃO, RENÚNCIA E ALEGRIA DE VIVER independente da vida que você levasse.

A terceira e grande lição foi do AMOR INCONDICIONAL aos seus amigos mais íntimos que lhe traíram, Judas e Pedro, a quem Jesus beijou e enviou um olhar de amor profundo mostrando para eles que não lhes guardava mágoa pelo ocorrido.

E a quarta e última grande lição deixada pelo chamado Homem de Nazaré, foi da LIBERTAÇÃO. O homem que consegue superar sua animalidade, não se deixando levar pelos sentimentos que a massa acha normal, rotineiro, que tem a coragem de ser diferente e fazer diferente, se liberta de si mesmo, alçando um patamar de tranquilidade na vida que não tem momento de dificuldade que o abale. Pois a sua fé (seja ela qual for) está baseada na certeza de que todos somos viajores do mesmo barco e que, mais cedo ou mais tarde, haveremos de despertar para a realidade de que só vivendo o amor poderemos realmente encontrar a tão sonhada paz que almejamos.

É por isso, meu amigo e minha amiga, que não lembro de Jesus nesse período pregado numa cruz, porque os exemplo que Ele deu fora dela são tão ou mais importantes do que a imagem de um homem ensanguentando.

Enquanto ficamos apenas "cultuando Ele na cruz" esquecemos de olhar o fundamental: os exemplos que Ele deixou e que nós ainda fazemos questão de não colocar na nossa vida.

Por isso, desejo que sua Páscoa seja um momento de alegria por você ter a oportunidade de conhecer um Homem que amou até o último momento, em todas as situações. Que Ele lhe inspire também a fazer o mesmo em todas as nuances da sua vida.

Um bj no coração de todos e boa páscoa!!!
Xanda

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Um exercício de compreensão nesse fim de semana

Olá meu povo, bom dia!!
Chegamos ao dia da semana mais esperado por algumas pessoas: a sexta-feira!!! Ufa!
Estamos concluindo mais sete dias de desafios, aprendizados e conquistas. Que bom, não?!

E se você é daquele que uma coisa ruim que tenha acontecido faz com que esqueças todas as outras coisas boas, aproveite o fim de semana para repensar isso. Se algo que não foi tão legal aconteceu, tenho certeza de que outras coisas boas ocorreram e elas são mais do que suficientes para que levantes a cabeça, sacudas a poeira e dês a volta por cima.

Nem tudo é ruim, nem tudo é 100% bom. Tudo na vida é dual, ou seja, traz os dois lados.
Um exemplo? 

Tristeza na dose certa nos faz pensar na vida e corrigir rumos. Na dose exagerada nos paralisa, adoece e nos estagna. Alegria na dose certa traz benefícios ao corpo, à mente e ao coração espalhando-se para os que estão à nossa volta. Na dose exagerada nos leva à euforia algumas vezes perniciosa, estravagante, que gera problemas mais à frente. Alguns dos quais, vamos nos arrepender pro resto da existência. 

Só que tem gente para quem nada está bom, já perceberam? Pode acontecer a melhor coisa do mundo, mas ele acha uma coisa ruim.
Se chove, tá ruim porque choveu. Se tá um solzão, tá ruim porque está fazendo um calor danado.
Se tá magro, tá ruim porque não tem curva. Se tá mais cheinho tá ruim porque não tá magro.
Se tá trabalhando demais, reclama. Se tá ocioso, reclama.
Se tá com alguém, reclama que não tem sossego. Se está só, a reclamação é de que não tem ninguém pra encher o saco! 

Tô mentindo ou exagerando?! Tenho certeza que não.
Na verdade, o problema é que estamos padecendo do mal da "insatisfação crônica" e não podia ser diferente se vivemos numa sociedade que nos leva apenas a ter satisfação no consumo e na compra ou posse das coisas.

Desse jeito é muito difícil aprender a ser feliz com o que se tem ou se é no momento. Afinal, não sabemos nem quem somos!! Não conhecemos nosso íntimo realmente. 
Por isso, necessitamos de estímulos externos para "acalmar nosso azedume".

Que tal nesse final de semana você tentar agir diferente, só por experiência?!
Ao invés de reclamar de algo que não rolou como você queria, que tal bolar uma alternativa e fazer diferente?!

Faça o exercício e depois veja em si o resultado. Tenho certeza de que seu corpo vai agradecer bastante não receber por dois dias, doses de veneno oriundos do seu humor.

E se São Pedro ajudar dê uma olhadinha para o céu e curta a lua crescente se preparando para ficar cheinha, pra aliviar a mente.
Bjs meu povo e um ótimo fim de semana!
Xanda


Compreenda,
o que você vê nos outros é o que você tem dentro de si mesmo.
Seus julgamentos são, na verdade, reflexos daquilo que está
reprimido ou rejeitado dentro de você. (Osho)

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Nesta semana, cuide de si mesmo

Olá meu povo, bom dia!!
E haja chuva!! Pensei que isso era artigo de luxo que a gente só via na TV, mas não é que ela existe mesmo, também pelas bandas do nordeste?!!
E estávamos precisando mesmo, pois o calor nos últimos dias estava "de lascar". Além de esfriar, ela ajuda a limpar a alma. E pra quem tá achando ruim, em vez de reclamar, vai tomar um banho de chuva pra "lavar esse bode"!!

Bom, mas com ela ou sem ela, a semana está começando e chamando todo mundo para o trabalho.
E um dos serviços mais importantes é o da melhoria interior de cada um. Estamos tão presos nas nossas ilusões que não vemos as besteiras que fazemos. Uma delas é ter inveja dos outros.

Me diga mesmo: invejar o que? Você não sabe quem é aquela pessoa, quais as dificuldades pessoais que ela possui, que desafios íntimos ela tem. E pra que invejar? Das duas uma: ou você não gosta de si e não confia em si mesmo, ou padece da doença do orgulho ferido o que é o mesmo que um mal chamado egoísmo. Coisa que a gente tem "de rodo", né?!!

Como a gente passa a maior parte do tempo olhando pra fora de nós, não enxergamos que o problema não são os outros, mas sim, como nós reagimos perante a vida e o que ela nos traz. Projetamos no outro as nossas próprias mazelas com medo de reconhecer em nós mesmos coisas que desgotamos. Porém, pra modificar essas coisas, só "cutucando por dentro" sem medo.

E ai, começa o grande trabalho da semana: entender se as coisas e os outros é que estão errados, ou se sou eu mesmo que tô complicando as coisas. E ter a paciência necessária para agir e esperar que os frutos cheguem no tempo certo.

Pra ajudar nesse processo árduo (que doi, envelhece e machuca, mas é necessário), deixo um texto de um livrinho que adquiri recentemente da queridíssima Ermance Dufaux. O título do texto é "Cuide de si mesmo".
Que ele possa nos ajudar na semana que se inicia.
bjs e boa semana,
Xanda

"Atente, nessa hora, para o ritmo natural que deve impor às mudanças interiores. O ato de evoluir não se faz em saltos repentinos e gloriosos. Passo a passo, busque a sua melhora. Dia após dia, aprenda a conviver pacificamente com suas imperfeições. (...)

Na hora das falhas lastimáveis, que gostaria que não fizessem mais parte de sua vida, recorda Pedro perante o descuido da negação ao Mestre Jesus. Apesar da queda, o apóstolo se recompôs e serviu até os últimos instantes de sua vida, porque entendeu a lição do autoamor e do autoperdão".